logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Aspectos visuoespaciais e linguísticos envolvidos na escrita e no cálculo
Autor(es): FERNANDA MARIA PEREIRA FREIRE, Maria Irma Hadler Coudry. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave escrita, escrita, Neurolinguística
Resumo

Este trabalho relaciona a aquisição (e uso) da escrita e a aquisição (e uso) de operações fundamentais da matemática, focalizando questões linguísticas e visuoespaciais com base nos pressupostos teórico-metodológicos da Neurolinguística Discursiva. Os dados a serem analisados fazem parte do estudo de caso de RM, um garoto de 11a5m, aluno do 7° ano de uma escola pública, em acompanhamento desde setembro de 2010, em virtude de uma queixa escolar de dificuldades na alfabetização e de dispersão em sala de aula. Considerando o fato de ter conseguido ler e escrever mais tarde do que é esperado pela escola, RM tem enfrentado dificuldades em relação aos conteúdos escolares, entre eles, os da disciplina de Matemática. Achados anteriores referentes ao caso de RM mostram sua dificuldade para desenhar as letras do alfabeto, cuja materialidade se apresentava como obstáculo tanto para interpretar suas formas (leitura), quanto para produzi-las (escrita), o que o afastava do sentido, já que não conseguia manter uma relação estável entre som e letra. Em relação às operações matemáticas temos observado fatos semelhantes. Embora RM reconheça os numerais e suas quantidades, tem dificuldade para dispor espacialmente, pela escrita, as operações matemáticas, tanto horizontal quanto verticalmente. A dúvida que antes se apresentava em relação ao lugar que deveria ocupar no papel um determinado traçado de uma letra específica, o que poderia mudar sua configuração (a escolha entre um “b” e um “d” ainda lhe é difícil), parece ressurgir. Sem conseguir manter os números em lugares específicos, mesmo quando sabe fazer o cálculo mentalmente, não consegue obter o resultado esperado. Além disso, em operações complexas como a divisão (que pressupõe as demais), RM tem dificuldade para manter a sequência de passos requerida para concluir a operação, mesmo quando convocado a usar a fala para organizar a sua ação ou quando procura orientar a sua ação pela fala do outro. Neste caso, a fala e a organização espacial dos números parecem ainda não relacionadas.