logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Linguística textual e o ensino de língua portuguesa: análise de materiais didáticos do PDE/PR
Autor(es): Jacqueline Costa Sanches Vignoli. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave Línguística textual, Línguística textual, Material didático PDE/PR
Resumo

O presente trabalho divulga os primeiros resultados de pesquisa de doutoramento e objetiva verificar quais processos de construção textual são mais frequentemente selecionados e de que maneira são didatizados em uma produção Didático-pedagógica do PDE/PR. A partir de uma perspectiva interacional de língua, a unidade de ensino passa a ser o texto, uma vez que, ao professor, cabe a tarefa de formar leitores e produtores textuais competentes, alunos aptos a interagir em sua sociedade por meio da linguagem materializada nos textos. Nesse sentido, parece-nos lógico que a Linguística Textual possa dar subsídios aos professores para que ajam em sala de aula de maneira sistemática e não intuitiva. Filiamo-nos, assim, teoricamente, à Linguística Textual e desejamos buscar, no interior desse campo de estudos, o conjunto de processos e recursos de construção textual que são (ou deveriam ser) trabalhados em sala de aula, como elementos composicionais dos gêneros, características dos tipos textuais (sequências textuais), referenciação, mecanismos de articulação, gerenciamento de vozes, tópico discursivo, intertextualidade, além dos conceitos de coesão e coerência textuais. Nosso corpus de análise foi composto essencialmente por Sequências Didáticas (Dolz e Schneuwly, 2004), modelo pedagógico que elege os gêneros textuais como objetos de ensino, em virtude da recorrência desse modo didático de organização nas produções analisadas. Percebemos, em análises prévias, que os processos de construção de sentidos encontrados nos textos empíricos perderam espaço para questões mais amplas e genéricas envolvendo a situação comunicativa proposta para a produção do gênero a ser ensinado ou levantamento de características estruturais e classificação do gênero. Assim, entendemos que o ensino textual de língua portuguesa seja feito de modo superficial, sem dar a devida atenção aos projetos de dizer envolvidos nos textos selecionados para as aulas de língua materna. Em um movimento pendular, todo o enfoque é dado à análise do contexto sócio-histórico sem que a materialidade linguística presente nos textos seja observada.