logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Quadrinhos e fábula em diálogo: as estratégias de argumentação às avessas em textos de humor
Autor(es): Elaine Hernandez de Souza. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 29/02/2024
Palavra-chave linguagem verbo-visual, linguagem verbo-visual, teoria bakhtiniana
Resumo

Os quadrinhos, expressão cultural da modernidade, tematizam verbo-visualmente não apenas o cotidiano de seu tempo como também diversos aspectos da cultura humana – arte, ciência, vida – registrados ao longo da história da humanidade. Sua origem é reivindicada por duas tradições: a europeia, que é difundida especialmente na França do final da década de 1820 e insere a arte quadrinística na trajetória das ilustrações e, principalmente, das caricaturas; e a estadunidense, que vincula o surgimento dessa arte à publicação dos desenhos de Outcault nos meios de comunicação de massa no final do século XIX. Sem desprezar uma ou outra tendência, tomar os quadrinhos pela tradição artística traz para a discussão o ingrediente do humor, presente nas HQs desde suas origens até os dias atuais, como é o caso das tiras de circulação diária no jornal, muitas vezes publicadas posteriormente em livros de compilação. Pelo viés do humor, muitas das narrativas gráficas recuperam elementos de textos da tradição oral, resgatando e ressignificando estereótipos e valores socialmente arraigados. Dessa perspectiva, esta pesquisa busca discutir os processos de ressignificação da fábula greco-latina “A cigarra e as formigas” pelas tirinhas de Fernando Gonsales, publicadas nas obras de coletânea Níquel Náusea entre os anos de 2004 e 2012. Nossa pesquisa está embasada no conceito de enunciado concreto – “a unidade real da linguagem” –, formulado por Volochínov, no ensaio A construção da enunciação (2013[1930], p.157) e também em outros escritos de Bakhtin e o Círculo. Cada ato de enunciar é ideologicamente modelado, pressupõe a existência de um falante e a orientação apreciativa de um auditório, ainda que este esteja fisicamente ausente. Nesta investigação, articulamos o conceito de enunciado concreto aos tipos de argumentos desenvolvidos por Chaïm Perelman e Lucie Olbrechts-Tyteca, em Tratado da Argumentação: a nova retórica (2005[1958/1970]). Partimos do pressuposto de que a ruptura nos argumentos construídos verbo-visualmente nas tirinhas se configura como estratégia para a construção do humor no trabalho do cartunista brasileiro. Com esta proposta, esperamos avançar na compreensão de discursos que, atravessando o cotidiano brasileiro, projetam olhares sobre a tradição.