logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Estatuto fonológico das aproximantes no Guarani-Mbyá
Autor(es): Ivana Pereira Ivo. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Guarani-Mbyá, Guarani-Mbyá, Aproximantes
Resumo

Algumas pesquisas linguísticas foram desenvolvidas para o Guarani-Mbyá, língua da família Tupi-Guarani, dentre elas, os trabalhos de Martins (2003), Guedes (1983), Dooley (1982/2006) Mello (2000) e Costa (2012). As análises divergem quanto ao estabelecimento do estatuto fonológico da “fricativa bilabial vozeada”, da aproximante labiovelar vozeada e da “fricativa labiodental vozeada”, segmentos apresentados sempre em variação um com o outro. Essa controvérsia nos inspirou a investigar a relação envolvendo aproximantes e fricativas nesta língua, definindo como objetivo inicial, a descrição acústica dos sons aproximantes e daqueles comumente descritos como fricativos, a partir da variedade falada na aldeia Tekoa Itaxĩ, localizada em Paraty Mirim, em Paraty (RJ). A análise acústica foi desenvolvida a partir de um corpus de 124 palavras, gravado com seis sujeitos (três homens e três mulheres), que repetido três vezes por cada sujeito nos deu um total de 2.232 produções. Foram medidos F1, F2 e F3 das aproximantes, bem como os formantes das vogais adjacentes a elas. Por meio da observação dos espectrogramas e formas de onda dos segmentos em estudo e da análise formântica mencionada acima, atestamos a ausência dos sons fricativos e uma produção efetiva de sons aproximantes. A análise acústica nos permitiu, também, identificar a realização de uma aproximante labiodental vozeada, ausente nas análises anteriores, que ocorre com todas as vogais, orais e nasais, em sílabas tônicas e pretônicas e que, quando precedendo ou seguindo vogais posteriores, é produzida como aproximante labiovelar vozeada. Para distinguir a produção das duas aproximantes, a labiovelar e a labiodental, o valor de F2 foi adotado com pista acústica saliente como indicativo de arredondamento labial, assumindo que um valor mais baixo indicaria arredondamento dos lábios para a aproximante labiovelar e um valor de F2 mais alto como indicativo de não arredondamento dos lábios para a aproximante labiodental. Os resultados obtidos pela análise acústica são discutidos fonologicamente à luz do princípio das oposições distintivas proposto pela Escola de Praga, o que nos possibilitou compreender como fundamental ao funcionamento do sistema fonológico do Guarani-Mbyá a oposição obstruinte x soante, contribuindo decisivamente para a reinterpretação do lugar e da função das aproximantes nesta língua.