logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Anáforas associativas meronímicas na constituição textual
Autor(es): Daniela Zimmermann Machado. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 02/03/2024
Palavra-chave sequências textuais, sequências textuais, texto
Resumo

O objetivo deste trabalho é observar a presença das anáforas associativas meronímicas na constituição das diferentes sequências textuais. Para a compreensão do fenômeno associativo, faz-se necessário o entendimento do quadro geral das anáforas associativas (doravante AA), conforme proposto por Kleiber (2001). Segundo o autor, o caráter que define as AAs é o léxico-estereotípico, ou seja, para que seja caso de AA, a relação entre elemento âncora e anafórico deve cumprir alguns critérios, dentre os quais selecionamos dois como fundamentais: a congruência ontológica, que diz respeito ao distanciamento inferencial entre elemento âncora e anáfora; e a condição de alienação, em que a anáfora deve ser inalienável, ou seja, deve ser dependente da âncora, fazendo parte da constituição do elemento âncora. No estudo do texto, apoiamo-nos, principalmente, no nível de análise das sequências textuais, proposto por Adam (1997). Selecionamos para a pesquisa as cinco sequências textuais sugeridas pelo pesquisador: narrativa, descritiva, argumentativa, expositiva e dialogal. Este trabalho é parte das discussões realizadas na tese de doutorado, que teve como propósito fundamentar semanticamente as anáforas associativas. No estudo desenvolvido, foi observada a presença recorrente de AAs meronímicas (aquelas que se caracterizam pela relação parte-todo), nas diferentes sequências textuais. Já associações actanciais, por exemplo, apareciam com menor frequência e com certa particularidade. Na tese, chegamos à conclusão de que as AAs meronímicas (O vento bateu a porta. O trinco caiu) parecem básicas na constituição de todas as sequências. Vimos que, para cada uma dessas sequências, as AAs desempenham um papel particular. Por exemplo, no texto descritivo, observamos que as AAs se combinam com a macroproposição aspectualização (aspectualização das partes de um todo, a fim de descrição). De um modo geral, as AAs contribuem para a sustentação da sequência. A ideia deste trabalho é mostrar as evidências encontradas no estudo anterior (na tese), observando o papel que as relações meronímicas desempenham na constituição de cada uma das sequências textuais. Paralelamente, procuramos justificativas para a forte recorrência desse fenômeno nos mais variados tipos de texto.