logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Representações da heteronormatividade e homoafetividade na imprensa paulistana
Autor(es): Victor Matheus Victorino da Costa, Hélio Rodrigues Júnior. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave heteronormatividade, heteronormatividade, discurso
Resumo

Este trabalho tem como proposta tratar da representação da ideologia dominante, a heteronormativa, e a ideologia de uma minoria homoafetiva, emergidas na mídia da capital de São Paulo. A escolha do tema se deve à relevância sociocultural e à recente discussão sobre o assunto, tendo em vista que a heteronormatividade é compreendida como a conduta definida como “certa”, sendo vista como “anormal” qualquer identidade fora deste padrão. Hoje, é preciso atentarmo-nos para a mudança estrutural da sociedade pós-moderna, pois vivemos uma crise de identidade (Hall, 2002), na qual não cabe mais a eleição de uma única conduta a ser seguida, mas sim de múltiplas identidades convivendo. Dessa forma, partimos do seguinte ponto: Em que medida a mídia propaga textos em termos de resistência ou consonância à ideologia dos discursos heteronormativo e homoafetivo? Temos por objetivos: levantar as representações entre um poder heteronormativo e uma minoria homoafetiva; analisar o discurso a respeito dessas representações, veiculados na esfera jornalística paulistana. Para tanto, escolhemos um artigo entitulado “Telenovela e LGBT: tudo a ver”, de Jean Wyllys, publicado no Le Monde Diplomatique como objeto de análise principal, confrontado com trechos de artigos publicados em outros jornais paulistanos sobre o mesmo tema. Ensejamos então o pressuposto de que os meios de comunicação são utilizados para fazer a manutenção e reprodução de normas morais e identitárias a serem absorvidas pela sociedade e reproduzidas nos discursos. Recorremos às abordagens da Análise do Discurso (Maingueneau) e da Análise Crítica do Discurso (van Dijk): na análise do corpus são usados os conceitos de ideologia (Chauí, 1981; Fiorin, 1990; van Dijk, 2010), de formação discursiva e formação social (Brandão, 2004; Foucault, 1971; Mainguenau, 1997;); e as noções de dominação (Bourdieu, 2007) e homofobia (Borrillo, 2001). Com a discussão, pudemos concluir que embora haja maior abertura, na imprensa e na mídia em geral, para temas voltados para a homossexualidade, muitas vezes as representações reforçam os estereótipos já contruídos dos grupos, perpetuando a dominação existente nas estruturas sociais.