logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Letramento, cultura escrita e educação superior: a universidade é para todos?
Autor(es): Ana Paula de Oliveira Santana. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave letramento, letramento, educação superior
Resumo

As mudanças ocorridas em face à democratização do acesso à educação superior modificaram o perfil dos universitários. Há estudantes de diferentes origens sociais que se contrapõe a imagem idealizada do “estudante-leitor” que fazia parte de uma elite intelectual. Dito de outra forma, há estudantes que apresentam condições de letramentos heterogêneas, com poucas práticas de leitura e dificuldades ortográficas e textuais. No Brasil, a viabilização do acesso à educação superior vem sendo favorecida por uma série de programas governamentais. Ao mesmo tempo os dados do INAF apontam que 38% dos universitários não têm nível pleno de alfabetismo funcional. Essas questões devem também ser discutidas a partir do acesso ao bem cultural: a cultura escrita. Dificuldades de produção e de interpretação de textos e, ainda, dificuldades linguísticas afetam de sobremaneira a permanência desses alunos na universidade. Para garantir a permanência desses alunos há necessidade de uma análise mais detalhada sobre o acesso à cultura escrita pelos estudantes. Diante das questões apresentadas, temos uma realidade no ensino superior ainda pouco analisada e discutida. Afinal, quem são os alunos que se autodeclaram com dificuldades? Quais são essas dificuldades? São provenientes das cotas? A universidade é, realmente, para todos? A partir dessas considerações o objetivo desta pesquisa é analisar a condição de inclusão dos estudantes que apresentam transtornos funcionais (Dislexia, TDAH, distúrbios de aprendizagem) e/ou que apresentam dificuldades lingüísticas. Como metodologia será realizada uma pesquisa qualitativa na Universidade Federal de Santa Catarina que corresponderá à: a) análise de entrevistas semiestruturadas. Participarão dois estudantes com dificuldades linguísticas e/ou estudantes que apresentam transtornos funcionais específicos; b) análise de avaliações linguísticas, caso os alunos já tenham, caso não tenham, será realizada uma avaliação da linguagem oral e escrita. Os dados serão analisados a partir de uma perspectiva dos novos estudos do letramento (Rojo, 2010) e dos conceitos de cultura escrita e herança cultural (Bourdieu, 2012). Com esse trabalho pretende-se discutir como se dá a inclusão desse grupo de estudantes no ensino superior e seu acesso à cultura escrita. Espera-se, como resultado, que esse entendimento possa indicar ações futuras para que os profissionais da educação possam favorecer a permanência dos estudantes com dificuldades lingüísticas no ensino superior. CNPq – Processo Processo 308430/2012-3