logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: O fait divers à luz dos conceitos de fidúcia e concessão
Autor(es): Conrado Moreira Mendes. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Tensividade, Tensividade, Concessão
Resumo

Em nossa pesquisa de doutorado (MENDES, 2013a), investigamos por que determinados faits divers caracterizam-se por um considerável período de duração nos meios de comunicação, cuja cobertura jornalística ininterrupta estende-se por semanas e até meses. Como se sabe, tal expressão de origem francesa designa notícias que não se enquadram nas editorias tradicionais do jornalismo, como política, economia, cultura, internacional, etc.; Barthes (1964, p. 194) define-a em poucas palavras como uma “uma informação monstruosa”. O corpus da pesquisa foi composto principalmente pela cobertura realizada pelo Jornal Nacional, exibido de segunda a sábado pela TV Globo, do Caso Isabella Nardoni. Em linhas gerais, esse episódio, exaustivamente noticiado pela mídia brasileira em 2008, gira em torno do assassinato de Isabella Nardoni, de cinco anos. Os suspeitos, à época, foram o próprio pai, Alexandre Nardoni, e a madrasta, Anna Carolina Jatobá. Tal desconfiança se comprovou ao longo da investigação: de indiciados pelo crime, foram acusados e condenados pela justiça. Conforme narrou a imprensa, a menina foi ferida, asfixiada e, por fim, jogada pela janela do sexto andar do apartamento do pai. Isabella passava o final de semana com ele, a madrasta e os dois filhos do casal. Socorrida pelos bombeiros, morreu a caminho do hospital. Uma questão norteou nossa investigação: como se construíram as estratégias discursivas utilizadas pelo enunciador “Jornal Nacional” para “extensivizar” a intensidade do fait divers Caso Isabella Nardoni – cuja estrutura, a priori, deveria ser muito intensa, mas pouco extensa – ? A partir de um percurso analítico composto por alguns eixos teóricos, procuramos recuperar, por catálise, o sujeito semiótico em cujo campo de presença irrompe o fait divers, ou seja, um enunciatário “telespectador” sensível às oscilações tensivas desse relato. Na presente comunicação, apresentamos um eixo que conduziu as análises em nossa tese de doutorado: os conceitos de fidúcia e concessão. Nossa fala, assim, estrutura-se da seguinte maneira: primeiramente, apresentamos uma revisão teórica dessas noções semióticas para, em seguida, examinar por tal perspectiva o corpus em questão. Finalmente, avaliamos a aplicabilidade desses conceitos a faits divers – considerados aqui acontecimentos midiáticos – tanto pelo excesso de impacto quanto pela extensa duração.