logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: O processo de simulação na construção do sentido em narrativas
Autor(es): Paulo Henrique Duque. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave Linguística Cognitiva, Linguística Cognitiva, Narrativas
Resumo

Os aspectos cognitivos da construção do discurso e da compreensão de textos vêm conquistando o interesse dos estudiosos nas últimas décadas devido aos avanços das pesquisas em Inteligência Artificial (IA) e em neurocências e ao rápido desenvolvimento da Linguística Cognitiva de base corporificada. Esses estudos têm evidenciado o quanto as habilidades cognitivas do leitor, tais como percepção, memória, atenção e linguagem, influenciam na compreensão de textos. Os leitores, em especial, usam mecanismos cognitivos para criarem e compartilharem perspectivas de objetos e de ações descritas linguisticamente. Baseados no constructo teórico da Gramática de Construções Corporificada, é possível ampliarmos nosso foco para além das sentenças, estendendo nossas ferramentas de análise a padrões mais amplos, como categorias. Os leitores, em especial, usam discursivas, que, na perspectiva em tela, são analisadas como o resultado da integração de esquemas de forma, de significado (esquemas imagéticos e frames). Neste trabalho, apresentaremos alguns resultados do projeto de pesquisa A Abordagem Construcional da Categoria Discursiva Conto Fantástico em Machado de Assis: o papel da compressão conceptual no esquema narrativo, cujo objetivo era demonstrar que as experiências motoras e perceptuais desempenham um papel significativo na compreensão de narrativas, participando da simulação de situações e eventos, por meio da elaboração de modelos situacionais. Para isso, partimos da premissa de que, durante a compreensão do texto, o leitor aciona representações perceptivas e motoras da personagem envolvida na cena descrita. Nesse sentido, compreender um texto consistiria em simular mentalmente as situações experienciadas pelas personagens, o que envolveria a codificação de detalhes perceptuais dos objetos descritos linguisticamente, tais como movimento, forma, orientação e localização. Baseamo-nos em algumas investigações que procuram identificar as representações construídas durante a compreensão de textos. A escolha de narrativas se deveu ao fato de as histórias constituírem microcosmos de eventos baseados em experiências cotidianas que incluem pessoas realizando ações em função de objetivos e eventos que apresentam obstáculos a esses objetivos, conflitos e reações emocionais. Além disso, adotamos uma perspectiva pautada: a) em Modelos de Situação, para contemplarmos a interconectividade entre os níveis de representação dos eventos identificados nos textos sob análise; e b) na noção de Simulação Mental, para caracterizarmos a estrutura interna dessas representações. Pautados em dados obtidos de protocolos de leituras realizadas por informantes universitários, verificamos que as habilidades cognitivas acionadas para criar e compartilhar perspectivas de objetos e de ações do “mundo real” são responsáveis pela (re)configuração de modelos de situação nos textos analisados.