logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: A história de Uberaba nas páginas de jornais antigos
Autor(es): Juliana Bertucci Barbosa. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave corpus, corpus, jornais
Resumo

O uso de corpus favorece as pesquisas linguísticas, sobretudo as de viés variacionista, na medida em que sua utilização proporciona a realização de descrições linguísticas de base empírica, além de permitir a reflexão de questões teóricas fundamentadas em contextos de usos reais da língua. Na tentativa de recuperar aspectos, de sincronias passadas, do Português Mineiro da cidade de Uberaba (e região), entendemos como uma relevante fonte para pesquisas os textos jornalísticos. Dessa forma, como objetivos principais deste trabalho temos; (a) organizar um banco de dados composto por jornais antigos de Uberaba e região, (b) colaborar com a preservação do patrimônio cultural brasileiro, ou seja, a preservação da memória cultural de um povo; (c) apresentar resultados de trabalhos de descrição linguística já feitos com este material. A montagem de corpus a partir de textos jornalísticos permite, por exemplo, pesquisas de fenômenos em variação linguística, precursores das reanálises gramaticais. Iniciamos nosso trabalho na digitalização dos seguintes jornais: Lavoura e Comércio, fundado em 1889, que circulou em Uberaba por 104 anos, e Gazeta de Uberaba. Os exemplares dos jornais estão atualmente apenas organizados em pastas no Arquivo Público da cidade de Uberaba. Parte dos jornais está em estágio avançado de deterioração, por isso a extrema importância em garantir, por meio da digitalização, a conservação desse riquíssimo material. Esses jornais já estão sendo utilizado como corpus para pesquisas linguísticas, apresentando, assim como os demais jornais, muitas peculiaridades da escrita da época. Além disso, os jornais também são um excelente material para a recuperação de aspectos sociais, históricos, econômicos, políticos, psicológicos, culturais (entre outros) de uma época. Sendo assim, esta comunicação se justifica a medida em que os jornais antigos são, em sua maioria, únicos, praticamente não possuem muitos exemplares, pois já se perderam ao longo do tempo; abordam temas da vida (nascimento, morte, notícias, pedidos, ordens etc.), e qualquer que seja o assunto, de alguma forma, sempre causam impacto no destinatário; e, por fim, representam escritos que se valorizam ao marcar, mais do que outros textos, a peculiaridade da escritura do jornalista.