logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Sessões de interação de teletandem em grupo: organização e mediação
Autor(es): Débora Cristina Monteiro Pena. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 01/03/2024
Palavra-chave teletandem, teletandem, ensino/aprendizagem
Resumo

Com as constantes inovações tecnológicas que vêm alterando todo o cenário mundial, modernizando desde os meios de comunicação até as viagens espaciais, a educação,  também, vem passando por transformações que buscam, cada vez mais, dinamizar e facilitar a aprendizagem. Sabemos que, por meio de aplicativos simples e gratuitos como o Skype, podemos manter contato com pessoas do mundo todo. Aproveitando tais facilidades e bom custo/benefício, surgiu o Projeto Teletandem Brasil: línguas estrangeiras para todos (TELLES, 2006), com o promissor contexto teletandem para o ensino/aprendizagem de língua estrangeira. O projeto promove sessões bilíngues de conversações por meio de parcerias entre universidades brasileiras e estrangeiras nas quais os alunos se revezam na aprendizagem da língua do outro e no ensino da sua. Logo após as interações de teletandem, é realizada uma sessão de mediação que na qual o professor/mediador busca ajudar os alunos a refletirem, para assim consolidar o que foi aprendido durante as sessões. Inicialmente, o tandem era face a face, por meio de parcerias de alunos de diferentes línguas que desenvolviam as sessões e trocas de conhecimentos presencialmente. Essa prática é viável na Europa, pois o continente contém várias línguas e os países não são muito distantes, o que facilita a locomoção sem gastar muito. No Brasil, devido às proporções geográficas, isso se torna mais complicado. Porém, com o avanço da tecnologia surgiram o e-tandem (teletandem via e-mail) e o teletandem. A origem do Teletandem está baseada nos princípios de autonomia e reciprocidade, prevendo responsabilidade e comprometimento entre os pares. Buscando aprimorar o ensino/aprendizagem de uma língua estrangeira, o teletandem possibilita que o interagente desenvolva melhor suas habilidades linguísticas, assim como sua competência intercultural. Nesse painel, evidenciaremos as sessões de interação em teletandem e o papel do mediador e da sessão de mediação, fundamentado em pesquisas feitas em um projeto de iniciação científica PIBIC. Procuramos, também, apontar a importância do mediador e da mediação, que contribuem não somente para o melhor aprendizado do aluno, mas que ele conjuntamente aprenda a ensinar. A pesquisa aqui retratada, em andamento, enfatiza as interações ocorridas no Laboratório de Teletandem da universidade e, sob uma ótica qualitativa, aborda os dados coletados por meio de  mensagens trocadas em um grupo fechado do Facebook, gravações de relatos dos interagentes e questionários abertos e fechados.