logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Intensificadores de grau do Guarani Paraguaio
Autor(es): Lara Frutos González. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave Grau, Grau, Modificação
Resumo

O presente trabalho visa investigar o comportamento dos intensificadores de grau ‘ite’, ‘iterei’ e ‘rasa’ do Guarani Paraguaio seguindo a proposta de classificação de modificadores de grau presente em Neeleman et al. (2004) e McNabb (2012). Os modificadores de grau apresentam a seguinte distribuição:

(1)Pe criança i-porã-ite-rei

DEM  criança  3-bonito-ITE-REI

‘Esta criança é muitíssimo bonita’

O exemplo acima mostram que os modificadores podem co-ocorrer e são responsáveis por intensificar o grau de beleza do adjetivo porã ‘bonito’. Embora esses modificadores tenham função semântica similar na língua - a de intensificar o grau da escala dado pelo significado do adjetivo - suas categorias sintáticas são diferentes. A partir das propostas de Bresnan (1973), Jackendoff (1977) e Cover (1997a;b), Neeleman et al. (2004) sugere a classificação dos morfemas de grau em duas categorias distintas, tendo como base seu comportamento sintático. Alguns modificadores são considerados núcleos de projeção de grau (classe-1); outros serão considerados adjuntos (classe-2). Modificadores de grau, de acordo com Neeleman et al. (2004) apresentam diferenças de comportamento em testes. Modificadores de grau de classe-2: A) concatenam-se com expressões preposicionais, verbais e nominais livremente; B) têm estrutura interna; C) aparecem sem um predicado graduável. Já modificadores de classe-1: D) precisam preceder/suceder AP (classe-2 tem ordem mais livre; E) não podem ser topicalizados; F) bloqueiam a topicalização do predicado graduável. Observou-se a partir destes testes que tanto ‘rasa’ como ‘ite’ comportam-se de maneira semelhante a modificadores de Classe-1, ou seja, têm comportamento sintático bastante restrito no que se refere às propriedades descritas, não apresentando as características em A, B, C, mas as propriedades descritas em D, E, F. ‘Iterei’ apresenta comportamento sintático mais livre: combina-se a expressões verbais (propriedade A) e tem estrutura interna (B). No entanto, não se pode afirmar que pertence à classe-2, pois não aparece sem um predicado graduável (C) e apresenta os comportamentos descritos em E e F, que são próprios de modificadores de Classe-1. A metodologia de coleta utilizada foi o julgamento de aceitabilidade e a elicitação controlada. Os dados foram coletados em trabalho de campo original realizado no Paraguaio ao longo de 2013.