logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: A base experiencial das metáforas do futebol brasileiro
Autor(es): Deize Crespim Pereira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave Linguística Cognitiva, Linguística Cognitiva, Português do Brasil
Resumo

Em trabalho anterior (Pereira, 2006) realizamos uma análise das expressões metafóricas encontradas no domínio do futebol brasileiro, com base em um corpus recolhido ao longo do ano de 2005 em jogos de futebol transmitidos pelo rádio e pela televisão, e utilizando como parâmetro três categorias propostas por Lakoff e Johnson (1980): metáforas estruturais, orientacionais e ontológicas. No presente trabalho, concentramos nossa análise no primeiro tipo com o objetivo de descrever e explicar a base experiencial de algumas metáforas. Os pressupostos teóricos são retirados da Linguística Cognitiva (Lakoff, 1987; Lakoff e Johnson, 1980; Talmy 2003a,b). A análise é qualitativa com base em um novo corpus recolhido nos anos de 2013 e 2014 em transmissões de jogos de futebol pela TV e programas esportivos. Lakoff (1987) defende que as metáforas são corpóreas, isto é, baseadas em nossa experiência física e nossa interação com o mundo a nossa volta. A partir dessa ideia, pode-se estabelecer a relevância do corpo e de nossa percepção para a linguagem figurada. Muitas metáforas do futebol tem como base domínios comuns de nossa experiência; exemplos:

1) é mais difícil ganhá do Fluminense no tapetão, ou ganhá do Fluminense no campo? (Vídeo Os donos da bola - BandNews, 27/12/2013)

2) Os jogadores do São Paulo bateram cabeça (Copa São Paulo de Futebol Junior - São Paulo x Atlético Mineiro - ESPN Brasil, 18/01/2014)

3) Mas o passe do Gonzalez já tinha sido uma tijolada (Libertadores - Zamora x Atlético MG- Sport TV, 11/02/2014)

4) Achô o gol no final do primeiro tempo (Campeonato Paulista - Penapolense x Santos - Sport TV, 16/02/2014)

5) Essa bola sobrô pro Ronaldinho/ Ela ficô de graça, a bola espirrô (Campeonato Paulista - Corinthians x Palmeiras - TV Globo, 16/02/2014)

No exemplo (1), a expressão "no tapetão" (i.e. decidir o resultado de uma partida ou campeonato no tribunal) tem como base experiencial a ação de puxar o tapete que está sob os pés de alguém, derrubando esta pessoa. No exemplo (2), dois jogadores do mesmo time se atrapalham mutuamente disputando a mesma bola, daí o "bater de cabeças". A "tijolada" do exemplo (3) constitui um lance em que o passe é mal feito e muito forte imitando o lançamento de um tijolo. Em (4) "achar o gol" imita a experiência de encontrar um objeto de valor na rua. Em (5), a bola "espirra" para qualquer lado, lembrando o espalhar de um líquido.