logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: O dito pelo dito e pelo não-dito no objeto artístico livro ilustrado: imbricamentos palavra-imagem-design
Autor(es): ANDRE LUIZ MING GARCIA. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 02/03/2024
Palavra-chave Literatura infantojuvenil, Literatura infantojuvenil, Relações palavra-imagem-design
Resumo

O livro ilustrado contemporâneo consiste num objeto artístico híbrido e multissemiótico, no qual a construção de sentidos se dá por meio da interação entre palavra (texto verbal), imagem (ilustrações) e design (projeto gráfico). Juntos e simultaneamente ativados, esses eixos semióticos trabalham na transmissão de sentidos e dizem o que dizem não apenas por meio daquilo que explicitamente se oferece ao leitor, mas também pela economia de recursos ou ausência deles, num processo em que o não dizer também significa dizer. Pretendemos, fundamentando-nos nos estudos internacionais acerca do livro ilustrado e recentemente publicados no Brasil (Nikolajeva & Scott, Suzy Lee, Salisbury & Styles, entre outros), e com o auxílio da semiótica peirceana, comparar a construção de imagens e sentidos acerca da família homoafetiva em Daddy's Roommate, de Michael Willhoite, e Cada família é de um jeito, de Aline Abreu. Ambas as obras lidam com a atualíssima temática da homoparentalidade, alvo de intensos debates nos cenários político e educacional brasileiros, e nosso objetivo consiste, portanto, em analisar, por meio do dito e do não dito e das relações palavra-imagem-design contidas nesses livros, aquilo que se está dizendo e mostrando ao leitor com relação à temática que compartilham, da propagação do pré-conceito ao convite à construção de conceitos. Para tal, traçaremos um breve histórico do livro ilustrado no Brasil, enfatizando o conceito de livro-objeto, reminiscente dos gift books ingleses do século XIX, mas sublinhando aquilo que lhes é próprio na contemporaneidade e o papel de caçador de sentidos desempenhado pelo receptor dessas obras semioticamente ricas, incluindo-se o mediador que também é alvo do duplo endereçamento da literatura infantojuvenil. Desse modo, e considerado o imperativo de brevidade de uma apresentação desta natureza, pretende-se munir o público com os instrumentos basilares para que possam decodificar a multiplicidade de linguagens que compõe o objeto de que tratamos com vistas a que se aprofunde na construção discursiva híbrida que lhes é característica e exige preparação prévia.