logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Sobre a analogia e os erros no processo de aquisição da linguagem
Autor(es): Irani Rodrigues Maldonade. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 25/02/2024
Palavra-chave Aquisição da linguagem, Aquisição da linguagem, erros
Resumo

O quadro estruturalista proposto por Saussure tem se mostrado um importante referencial teórico para analisar a fala de crianças em processo de aquisição da linguagem, principalmente para os investigadores interacionistas, que elegem o erro como dado de eleição. A partir da proposta das três posições da criança no processo de aquisição da linguagem de De Lemos (2002), enfrenta-se a necessidade, nessa teorização, de mostrar como a criança se encontra submetida à língua, em instâncias que possibilitam sua constituição como sujeito falante. Este trabalho tem como objetivo refletir sobre alguns erros na fala de crianças brasileiras que causam estranheza aos interlocutores, por serem palavras não reconhecidas pela gramática da língua adulta. Tais erros situam-se no domínio do léxico e da morfologia verbal. Em outras palavras, este trabalho busca mostrar de que maneira a noção de analogia, definida por Saussure, pode aliar-se aos processos metafóricos e metonímicos na proposta interacionista, para poder explicar o mecanismo de mudança linguística, que caracteriza o processo de aquisição da linguagem. Para o autor, a analogia é mais viva e fértil na criança, porque esta se vê obrigada a construir o signo a cada instante. A análise dos dados permitiu concluir que a analogia enquanto processo criativo é considerada como fenômeno da fala (da esfera individual e subjetiva), ou ainda, da ordem dos acontecimentos linguísticos, que não se tornam fato de língua. Entretanto, os erros criativos ou inovações lexicais na fala dessas crianças que estão fadados ao esquecimento ao longo do processo de aquisição da linguagem, permitiram elucidar alguns mecanismos que tratam do funcionamento geral e ininterrupto da língua(gem). Foi também possível afirmar que não é na língua que se deve buscar sobre o que há de geral (universal) no processo de aquisição da linguagem. Além disso, este trabalho buscou discutir, um pouco mais de perto, sobre a consciência ou inconsciência envolvida nas diferentes posições da criança no processo de aquisição da linguagem, propostas pela perspectiva interacionista.