logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Letramento escolar e ensino do texto: entre a tipologia textual e os gêneros do discurso
Autor(es): LUCIANO NOVAES VIDON. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Letramento Escolar, Letramento Escolar, Gêneros do Discurso
Resumo

Com o advento do conceito de Gêneros do Discurso (BAKHTIN, 2003) e as tentativas de revisão da concepção textual tipológica, em que figuravam, principalmente, os textos narrativos, descritivos e dissertativos, o campo pedagógico de ensino do texto passou a ser coberto por uma série de exemplares textuais, de configurações bastante heterogêneas. Essa mudança de perspectiva colocou em xeque a homogeneidade dos tipos textuais, presente nos programas de ensino de texto há mais de um século, pelo menos. Ao que tudo indica, vivemos um forte movimento de transformação (BAWARSHI & REIFF, 2013) e, como tal, requer um olhar investigativo sobre os acontecimentos, especialmente porque afetam o ensino de língua portuguesa, de maneira geral, e, mais especificamente, o ensino de leitura e de escrita, bem como os sistemas de avaliação, cada vez mais presentes nos horizontes da maioria dos adolescentes e jovens em processo de letramento escolar (KLEIMAN, 2007; SOARES, 2003; ROJO, 2008). Ao entrar em contato, hoje, com contextos de ensino-aprendizagem de texto, os estudantes de ensino fundamental, médio ou mesmo superior interagem, especialmente nas atividades de leitura e compreensão de texto, com variados gêneros do discurso, principalmente os mais prestigiados pelos sistemas de avaliação, como o Enem, os vestibulares e os concursos em geral. No que tange à produção de textos, porém, parece ocorrer, ainda, um processo didático-pedagógico de homogeneização e dessubjetivação (VIDON, 2013), no qual o sistema de ensino tenta enquadrar os enunciados dos estudantes em modelos de texto pré-definidos (pertencentes aos gêneros estudados). Neste trabalho, partindo de dados oriundos de materiais didáticos de língua portuguesa, propostas de produção de texto e textos produzidos por estudantes do ensino médio, indagamo-nos a respeito das concepções subjacentes a essas propostas e práticas didático-pedagógicas atuais. Nossa hipótese é que esses dados indiciam (GINZBURG, 1986) um diálogo conflituoso entre duas concepções de linguagem, uma formalista, tecnicista, normativo-prescritiva, e outra discursiva, crítica e dialógica. Refletiremos, assim, a respeito dessa hipótese, a partir da teoria dialógica bakhtiniana (BAKHTIN, 2003; 2010; VOLOSHINOV, 2010), dos estudos sobre letramento (KLEIMAN, 1995; 2007; SOARES, 2003; ROJO, 2009) e da perspectiva crítico-pedagógica freireana (FREIRE, 2001; BRAHIM, 2007).