logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Olhares para a heterogeneidade discursiva e os movimentos do sujeito na revista Língua Portuguesa
Autor(es): Roziane Keila Grando. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave heterogeneidade discursiva, heterogeneidade discursiva, movimentos do sujeito
Resumo

Com a mudança dos tempos e a sociedade em constante desenvolvimento, o discurso de divulgação científica (DDC) surge como o resultado da ciência em busca da democratização do saber.  Para tanto o Jornalismo Científico passa a ocupar um lugar de mediador entre o que é do âmbito do conhecimento científico, ou seja, entre a academia e o que é do conhecimento da população em geral, por meio da mídia. Diante dessa conjuntura, o trabalho busca compreender o funcionamento do discurso de Divulgação Científica tomando como corpus de análise duas publicações acerca do tema: “Redação do Enem” na revista Língua Portuguesa. A partir da concepção de ciência enquanto prática social e ideológica, escolheu-se como referencial teórico a Análise de Discurso de linha francesa (PECHEUX, 1997; ORLANDI, 2001). A discussão também foi apoiada em Grigoletto (2008) quando se discute o discurso de divulgação científica como espaço intervalar, assim como, em Authier-Revuz (2004) quando se trata da heterogeneidade discursiva. A preocupação foi fundamentada no modo como os diferentes sujeitos - o cientista, o jornalista e o leitor - se movimentam, ou seja, constituem-se nesses discursos, sendo interpelados tanto pelo poder/verdade da ciência, quanto pelo poder/verdade da mídia. O foco na compreensão do discurso de Divulgação Científica o evidencia como lugar de entrecruzamento de diferentes sujeitos e de diferentes ordens de saberes, das diferentes posições-sujeito, bem como, das instituições que eles representam o que atesta a constituição heterogênea desse discurso. Authier-Revuz (1998) entende esse tipo de discurso como auto-representação do dialogismo, pois ao mesmo tempo em que faz a Divulgação científica, o fazer fica evidenciado tanto no nível de estrutura enunciativa, quanto no nível do fio do discurso.  Como resultado, compreendeu-se que os textos analisados são constituídos por outros discursos, e que o(s) sentido(s) sobre o que deve ou não ser avaliado nas produções dos candidatos as provas do Enem está(ão) diretamente relacionado(s) ao entrecruzamento das vozes dos especialistas, ou não, que estão presentes nesses enunciados, os quais são constituídos de forma heterogênea.