logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: A escolarização linguística como projeto de civilização: o ensino de língua portuguesa no Sergipe oitocentista, através do método lancasteriano
Autor(es): RICARDO NASCIMENTO ABREU. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave Método lancasteriano, Método lancasteriano, Língua Portuguesa
Resumo

A adoção do método lancasteriano no Império do Brasil, na primeira metade do século XIX, com o objetivo de difundir a trilogia – ler, escrever e contar – promovendo um processo de escolarização linguística como parte integrante do plano  de civilizar  o povo brasileiro, por parte das elites imperiais, apresenta-se como uma das primeiras políticas linguísticas do Estado Imperial, com o fito de consolidar a língua portuguesa como língua nacional. O método, que prometia educar linguisticamente um grande número de brasileiros, em um curto espaço de tempo e a custos extremamente baixos, foi operacionalizado na província de Sergipe, e no restante das províncias do Império, inicialmente pelos militares e posteriormente por professores  civis. Desse modo, o ensino da língua portuguesa em terras sergipanas, através da metodologia de Lancaster, constitui-se como ponto de grande interesse para a história do português brasileiro, uma vez que, ao compreendermos as motivações que conduziram à adoção desse método e à caracterização das ideias linguísticas contidas nas suas aulas de gramática, poderemos contribuir para elucidar os rumos práticos que o ensino da língua materna e a construção das gramáticas tomaram no Brasil durante o século XIX. Inspirada nas lições da Gramática de Port-Royal, as aulas lancasterianas de gramática da língua portuguesa mostravam-se fiéis às ideias linguísticas da gramática filosófica, ainda em vigor nos anos oitocentos, e foram responsáveis pela elaboração metodológica de um dispositivo de escolarização linguística que consistia na formação dos professores, na escolha dos conteúdos e na contribuição da disseminação do português como língua de civilização, em contraste com a realidade plurilíngue do Brasil. Concomitante ao estudo a respeito do ensino do português através do método lancasteriano, esta pesquisa visa discutir as possibilidades de usos da história cultural como base conceitual no desenvolvimento de uma metodologia para o estudo das ideias linguísticas, objetivando assim, trazer à tona aspectos ainda desconhecidos ou pouco discutidos no que tange à história social do português brasileiro.