logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Futebol e fórmulas
Autor(es): SIRIO POSSENTI. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave FÓRMULAS, FÓRMULAS, UFANISMO
Resumo

A comunicação pretende tratar de diversas “fórmulas” ou “pequenas frases”, como as duas bem conhecidas de Nelson Rodrigues, “Pátria em chuteiras” e “complexo de vira-latas”, e também de outras, incluindo algumas que circulam atualmente, especialmente em propagandas, como a quem tem “o futebol voltou pra casa” como slogan. O objetivo é mostrar que há discursos heterogêneos sobre o futebol brasileiro. Um deles, sintetizado pelo slogan publicitário mencionado, pode ser associado a um tipo de ufanismo (“se antes eu era esporte, no Brasil eu virei arte", diz o narrador no filme), que é um dos traços deste discurso sobre brasilidade. Outro, sintetizado por “complexo de vira-latas”, é de certa forma seu avesso, pois resume uma autoimagem negativa do brasileiro, considerada uma das causas do mau desempenho das equipes, em especial da seleção de futebol, sobretudo em disputas internacionais. Assim, como em uma espiral, o sucesso e o insucesso no futebol se explicam a partir de tais discursos, por um lado. Por outro, tais discursos são sustentados por ele: ganhar uma Copa contribui para eliminar autoimagens negativas, e alguma “petulância” (um certo habitus, diria Bourdieu), expressos especialmente, ou originariamente, na postura de Pelé, é fator decisivo para as vitórias em campo, segundo se lê nas crônicas de Nelson Rodrigues. Eventualmente, celebra-se o futebol “bem jogado” mesmo na derrota (como ocorreu com a seleção de 1982) ou incrimina-se o futebol “ruim”, mesmo se vencedor (como na Copa de 1994). Pode-se dizer que há uma divisão entre os que pensam que o importante é ganhar e os que privilegiam o jogo bonito, mesmo perdendo. Verificar-se-á, também (uma busca na Internet o revela), que algumas dessas “fórmulas” circulam por diversos discursos, o que é um sintoma de que o futebol funciona como fonte de metáforas para numerosas ocasiões, o que significa, por sua vez, que tem uma relevância cultural não desprezível. A escolha de certas “fórmulas” como elementos cruciais do corpus a ser analisado se deve ao fato de que autores como Mainguenau e Krieg-Planque, entre outros, têm demonstrado sua produtividade em análise do discurso, especialmente em dois sentidos: a) como lugares de passagem de um conjunto de discursos, que elas atravessam; b) em sentido metodológico, como entrada em corpora tipicamente heterogêneos e diacrônicos. Acrescente-se que o trabalho se insere nos projetos de um grupo interinstitucional de pesquisa em torno de fórmulas e estereótipos.