logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Designações para semáforo: uma análise pluridimensional com os dados do projeto ALiB
Autor(es): Amanda Chofard. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave ALiB, ALiB, Pluridimensional
Resumo

O português brasileiro, especialmente no nível lexical, reflete as influências linguísticas e culturais dos povos que participaram do processo de formação da nação brasileira. Pesquisadores como Aguilera (2009), Oliveira (2009), Pastorelli (2009), Ribeiro (2009), Romano (2009), Santos (2009), entre outros, já realizaram estudos acerca das variantes lexicais com base nos dados do ALiB – Atlas Linguístico do Brasil - cuja metodologia é a coleta de dados in loco. Esta pesquisa se inscreve no campo do estudo do léxico dos dados do projeto ALiB, regional do Paraná, cuja coordenação está em mãos da diretora científica Dra. Vanderci de Andrade Aguilera e tem como objetivo identificar e analisar as respostas dadas à questão 194 do Questionário Semântico-Lexical (QSL) do ALiB (COMITÊ NACIONAL, 2001): “Na cidade, o que costuma ter em cruzamentos movimentados, com luz vermelha, verde e amarela?”. Com base nos princípios teórico-metodológicos da Dialetologia Pluridimensional (Thun, 1998), o corpus é constituído por uma rede de pontos dos três estados da região sul do Brasil, perfazendo 41 localidades e 164 informantes, todos com nível fundamental de escolaridade, estratificados segundo as variáveis extralinguísticas ou sociais. São elas: diassexual (masculino e feminino), diageracional (faixa etária I 18-30 e faixa etária II 50-65 anos). Como objetivos, propomos: (i) apresentar o elenco de variantes registradas na região Sul do Brasil pelo ALiB; (ii) observar quais fatores contribuem para a utilização de determinada variante; (iii) mapear a distribuição das variantes e, se possível, (iv) traçar isoléxicas. Para tanto, realizamos: (i) a revisão das transcrições da região; (ii) o levantamento das respostas dos informantes; (iii) uma análise quantitativa e qualitativa. De posse dos dados, verificamos a dicionarização das variantes nas principais obras lexicográficas, como Houaiss (2007), Ferreira (1986), Cunha (1982) e Nascentes (1964). Pretendemos, assim, contribuir para as pesquisas em torno da diversidade da língua portuguesa falada no Brasil.