logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Os sentidos e a (inter)subjetividade em textos escritos por alunos de 5º ano
Autor(es): Enilde Rocha Vieira, Enilde Rocha Vieira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave (inter)subjetividade, (inter)subjetividade, texto
Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo analisar, pelo viés da Pragmática na interface com Linguística Textual, a produção dos sentidos em textos escritos por alunos de 5º ano, produzidos em um projeto de leitura, escrita e confecção de livros artesanais, na Escola Estadual Marizeti Mendes de Oliveira, na cidade de Vilhena – Rondônia. Em tal projeto, a produção de textos escritos se dava a partir de narrativas orais produzidas pelos próprios alunos. Nesse sentido, este estudo está centrado na enunciação (Benveniste, 1989, 1995), que se constitui em um ato novo e irrepetível, por meio do jogo da linguagem entre o dito e suas inferências. Ela é representada pelo quadrinômio eu-tu-aqui-agora quanto aos índices de subjetividade disponibilizados pela língua. Além da enunciação, a noção de texto, enquanto produto da interação verbal entre interlocutores (Koch, 2009) constituem a base teórica/metodológica desta pesquisa.  A análise dos dados será realizada com base na teoria da enunciação focalizando os índices de pessoa eu/tu e de ostenção aqui/agora. Os resultados da análise evidenciam marcas de (inter)subjetividade pela utilização da primeira pessoa do discurso que, no momento da enunciação, confere ao produtor de texto um status de sujeito de seu discurso. A repetição dos índices ligados a primeira pessoa do discurso, nos primeiros parágrafos dos textos, tem a função de situar o leitor no evento comunicativo, nesse caso, a história a ser contada. A referência ao narrador da história a partir do índice de pessoa, neste caso, os pronomes pessoais(eu/tu) e possessivos (meu/minha, seu/sua), define o indivíduo que profere a enunciação e o que está como alocutário. Outra marca da subjetividade refere-se à utilização de marcadores temporais e espaciais expressos nos advérbios e locuções adverbiais, constatadas nas primeiras linhas dos textos, nas quais os alunos escritores fazem menção ao tempo e ao local da enunciação (aqui-agora). Assim, a produção de sentidos ocorre na (inter)subjetividade presente nos textos e no ato enunciativo, num constante processo de singularização do sujeito.