logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: Da teoria à prática: um olhar sobre o tratamento da variação linguística na sala de aula
Autor(es): Ariosvaldo Leal de Jesus. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave Variação Linguística, Variação Linguística, Prática Pedagógica
Resumo

O estudo da variação linguística nas atividades de Língua Portuguesa é uma recomendação dos Parâmetros Curriculares Nacionais (1998). Considerando essa legitimação, o nosso objetivo foi investigar como o fenômeno da variação linguística é abordado em sala de aula. Para isso, foi constituída uma subamostra composta de quatro professores, sendo dois do Ensino Fundamental e dois do Ensino Médio, de duas escolas públicas, na cidade de Aracaju/SE. A fim de fundamentar teoricamente tal proposta apoiamo-nos nas ideias difundidas essencialmente por Antunes (2007), Bagno (2007, 2009 e 2011), Bortoni-Ricardo (2004 e 2006), Castilho (2009), Faraco (2008), Possenti (1996), Soares (2008) e Travaglia (2001). Para analisar como a variação linguística é abordada nas aulas de Língua Portuguesa, foram observadas quatro aulas e formulado um questionário com as seguintes questões: Para você qual a importância do trabalho com a variação linguística no ensino de Língua Portuguesa? Quais as estratégias você utiliza para trabalhar o fenômeno da variação linguística em sala de aula? Qual a sua concepção sobre língua, linguagem e fala? Os resultados revelam que, tanto para os professores do Ensino Fundamental quanto para os professores do Ensino Médio, o trabalho com a variação linguística em sala de aula importa na medida em que torna possível considerar o uso da língua de acordo com as diversas situações comunicativas. Cientes da importância do referido fenômeno os professores afirmam que utilizam algumas estratégias, como o trabalho com os gêneros textuais e alguns vídeos do Chico Bento, mas ressaltando a  importância do domínio da norma culta para se inserir no mercado de trabalho. Sobre a concepção de língua, linguagem e fala, foi comum por parte dos docentes um caráter social. Percebemos que os avanços conseguidos pelos estudos da linguagem nas duas últimas décadas ainda chegam às escolas de forma um pouco tímida, pois, a formação tradicional de vários profissionais refletem fortemente em suas práticas pedagógicas.