logo

Programação do 62º seminário do GEL


62º SEMINáRIO DO GEL - 2014
Título: LIVRO DIDÁTICO DIGITAL E A AULA DE INGLÊS NA ESCOLA PÚBLICA: DISCUTINDO PARADIGMAS
Autor(es): eliane fernandes azzari. In: SEMINÁRIO DO GEL, 62 , 2014, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2014. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave Ensino e Aprendizagem de Inglês; Escola Pública; Materiais Didáticos Digitais
Resumo A maneira de ensinar e aprender línguas na escola urge mudanças que a tornem mais apta a formar aprendizes críticos e éticos, com capacidade agentiva diante das práticas sociais letradas típicas de seus contextos (MOITA LOPES; ROJO, 2004). Fora da esfera escolar, as TICs (Tecnologias da Informação e Comunicação) aceleram os processos de globalização loco-global, configurando-se como espaços para o acesso, participação e interação sociais (BRAGA, 2010). Paralelamente, a escola pública enfrenta o desafio de manter-se relevante, além de tornar-se mais atraente. O governo brasileiro, em resposta aos altos índices de evasão no Ensino Médio (EM), ofereceu esforços para implantação de mudanças anunciando a inserção de novas tecnologias em sala de aula. Após anunciar a compra e distribuição de tablets para alunos e professores, o Ministério da Educação publicou edital para o PNLD / 2015 em que se configura, além dos materiais impressos, um Livro Didático Digital (doravante LDD) de inglês para o EM com recursos multimidiáticos (jogos, vídeos, áudio e infográficos, entre outros). Esta investigação indaga se e como, de fato, a inclusão desse material ofereceria mais do que apenas o uso ingênuo, superficial, desses recursos. Mais além, questiona se esses LDDs apresentariam (novas) oportunidades para o engajamento discursivo em língua inglesa. Destaca-se a importância do estabelecimento de uma discussão acerca da efetividade do uso dessas tecnologias como mola propulsora para transformações que, de fato, movam paradigmas educacionais (LEMKE, 2010). De acordo com García-Canclini (2013 [1989]), é possível perceber que há mudanças em uma área de conhecimento quando deslocamentos ou a transformação em (alguns de) seus conceitos se faz necessária. Em vista do quadro descrito, este estudo propõe elaborar uma análise sócio-histórica das condições de produção do LDD de inglês, abordando-o como um gênero discursivo (BAKHTIN/VOLOCHÍNOV, 2006[1929]), numa perspectiva qualitativa - interpretativista. Observando-se as possíveis propiciações e interatividade presentes em um novo ethos (LANKSHEAR; KNOBEL, 2008), indaga em que medida esses recursos tecnológicos promoveriam múltiplos letramentos (COPE; KALANTZIS, 2005[2000]). Além disso, propõe investigar se tais recursos representariam contribuição para uma formação pluricultural e discursiva que dê conta da capacitação não só para a participação democrática em, mas também para a contestação de discursos hegemônicos, já estabelecidos por forças e poderes de ordem sócio-econômica (ROCHA; MACIEL, 2013), mantendo-se em vista os objetivos educacionais da escola pública regular (BIESTA, 2009).