logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: UM ESTUDO HISTÓRICO-COMPARATIVO DO ESTATUTO PROSÓDICO DOS ADVÉRBIOS EM –MENTE EM PORTUGUÊS ARCAICO E PORTUGUÊS BRASILEIRO.
Autor(es): Thais Holanda de Abreu-Zorzi. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Portugus Arcaico, Portugus Brasileiro, advrbios em -mente
Resumo

O objetivo deste trabalho é realizar um estudo comparativo das formas adverbiais em –mente em duas sincronias da língua portuguesa - Português Arcaico (PA), século XIII, e Português Brasileiro (PB) atual, a fim de observar e descrever possíveis mudanças com relação ao estatuto prosódico dessas formas. Ressalta-se que este trabalho não se trata de um estudo de cunho sociovariacionista, uma vez que não é feito um estudo quantitativo das formas encontradas, mas sim qualitativo entre as formas da mesma palavra em períodos diferentes do Português. Para a realização desta pesquisa, elegeram-se como corpus do PA as cantigas medievais galego-portuguesas remanescentes, das quais fazem parte as 420 cantigas em louvor à Virgem Maria, conhecidas como Cantigas de Santa Maria (CSM), e as 1251 cantigas profanas (510 de amigo, 431 de escárnio e maldizer e 310 de amor). Por outro lado, elegeu-se como corpus de estudo do PB um recorte do banco de dados do Corpus Online do Português, elaborado em conjunto pelos pesquisadores Michael Ferreira, da Universidade de Georgetown, e Mark Davies, da Brigham Young University. A justificativa para a escolha das cantigas medievais como corpus de estudo se dá pelo fato de que, segundo Mattos e Silva (2006, p.37), os textos líricos são os mais ricos para o estudo da fonética prosódica da língua e seus dados, pois apenas corpora poéticos podem revelar fenômenos de natureza prosódica, como o acento. Sendo assim, a metodologia utilizada é similar à proposta por Massini-Cagliari em seus trabalhos de 1995 e 2005 - escansão dos versos em que se encontram as ocorrências adverbiais mapeadas. Com relação à nossa escolha para o corpus em PB, deve-se ressaltar que esta foi feita devido ao fato de o banco de dados deste corpus possuir diversos textos escritos no Brasil, de diversas fontes e gêneros, de literários a jornalísticos e, dessa forma, reúne uma variedade muito grande de temas, gêneros e enfoques que permitem uma investigação abrangente sobre os fenômenos prosódicos do português atual. A partir do mapeamento das formas adverbiais em -mente no corpora podemos descrever as formas adverbiais em –mente como compostas (um acento lexical e um secundário) tanto em PA como em PB, visto que tais advérbios podem ser considerados elementos que são formados por partes independentes entre si, em que a Regra de Atribuição do Acento atua em domínios distintos: nas bases já flexionadas e no “sufixo” –mente. (Apoio: FAPESP – Processo 2011/18933-8)