logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: A1-P0 como medida de nasalidade em PB – um estudo experimental
Autor(es): Luciana Ferreira Marques. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave Vogais nasais, Acstica, Fontica
Resumo

O Português brasileiro possui contraste fonêmico entre vogais orais e vogais nasais. Além disso, vogais orais ocorrendo antes de consonante nasal pode ser nasalizada por assimilação. Fonologicamente vogais nasais e nasalizadas possuem o mesmo traço [+nasal]. Foneticamente, vogais nasais e nasalizada diferem quanto a taxas de fluxo de ar nasal, com vogais nasais tendo maior fluxo de ar nasal do que vogais nasalizadas (Medeiros, 2011).

Tal diferença se dá por conta do contexto fonológico em que estão inseridas. De uma perspectiva de coarticulação, teorias propõem que articulação de segmentos pode ser controlada para salientar a diferença acústica entre dois sons similares, de forma a facilitar a percepção pelo ouvinte. Em francês, por exemplo, vogais nasais são restringidas articulatoriamente para evitar confusão perceptual com vogais nasalizadas (Cohn, 1990). Esse mesmo tipo de controle pode ocorrer em PB.

O presente estudo explora a diferença de grau de nasalidade acústico entre as vogais baixas oral, nasal e nasalizada em PB, baseado na metodologia de Chen (1997), em que consequências acústicas do acoplamento do trato nasal durante a produção de vogais nasais e nasalizadas são usadas para diferenciar vogais orais e nasais em francês e inglês. O grau de nasalidade é baseado na hipótese de que a diferença (em dB) entre a amplitude do primeiro formante (A1) e a amplitude do pico nasal proeminente na região de baixos harmônicos (P0) seja um correlato acústico da nasalidade. Quando uma vogal é nasal ou nasalizada, a amplitude de A1 é reduzida, e a amplitude de P0 aumenta. Quanto menor essa diferença, mais nasal a vogal é considerada.

A hipótese é de que a diferença em nasalidade observada em PB também aparece acusticamente em termos da diferença A1-P0, assim como aparece em termos aerodinâmicos. A vogal nasal então terá a menor diferença A1-P0, seguida da vogal nasalizada e, por último, a vogal oral. Isso significaria que a vogal nasal é mais nasal acusticamente quando comparada as outras duas.