logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: O discurso midiático e as eleições: do título ao texto de notícias jornalísticas
Autor(es): SANDRO LUIS DA SILVA. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave notcias jornalsticas, ttulo, discurso
Resumo

O texto jornalístico tem um alcance significativo nos diversos setores da sociedade, o que implica um grande número de leitores. Quando pensamos nos diferentes gêneros deste domínio discursivo, observamos que possuem características próprias, respeitando suas normas básicas, ou seja, gramática simples, estrutura concisa e simplificada. Há quem considere que os gêneros jornalísticos não visam à produção de um texto original, mas padronizado, que não chame a atenção para si,  mas para a informação que carrega. Dentro das mais variadas áreas do saber, numa perspectiva disciplinar ou interdisciplinar, ocorre uma preocupação em estudar o discurso das mídias, digitais e/ou impressas, a fim de entender os possíveis efeitos de sentido e os impactos que ele provoca socialmente, mostrando que, mesmo tendo uma "forma" a ser seguida, consegue credibilidade do público, seja para adquirir o texto, como exemplificam jornais e revistas (impressas e digitais), seja para ler os gêneros neles veiculados. Considerando a mídia impressa, mais especificamente o jornal, esta comunicação objetiva apresentar uma análise comparativa entre duas notícias jornalísticias  retiradas de dois jornais de grande circulação nacional - Folha de São Paulo e O Globo - referentes  ao processo eleitoral para Presidente da República no Brasil em 2010, mais especificamente notícias do mês de setembro daquele ano. Serão considerados para a análise os mecanismos linguístico-discursivos do título e do corpo da notícia, sobretudo aqueles marcados pela anáfora e catáfora, na tentativa de explicitar a coerência entre título e relato do fato, observando, ainda, em que medida esses procedimentos contribuem para a construção do ethos discursivo do jornal, podendo não apenas relatar, mas, (in)diretamente, argumentar sobre o fato relatado. A análise pauta-se nos estudos de Maingueneau (1997, 2004, 2010), Calabrese (2012), Rigoot e Utad (2004), Mouillaud (1982) e Sullet-Nylander (1998). Pelos resultados obtidos, é possível afirmar que há coerência entre título e corpo do texto, procurando levar o leitor à construção de um ethos discursivo que, aparentemente, é objetivo e comprometido com a informação.