logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Luta de classes e variação linguística: identidades nos discursos políticos
Autor(es): Victor Carreo. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Sociolingustica, Variao lingustica, Identidade
Resumo

As eleições de 2014 para o cargo de Presidente da República, no Brasil, foram marcadas pela mídia, na intenção de votos dos eleitores, como uma divisão entre classes sociais altas versus classes mais baixas. Diferentes meios de comunicações caracterizaram a disputa eleitoral como uma batalha entre “pobres e ricos”, não necessariamente a dividindo conforme as propostas de cada candidato. Tal fato foi dado por conta da associação do próprio eleitorado a essa visão de um partido político que defenderia o direito dos menos privilegiados e outro que não. À luz da sociolinguística – variação linguística conforme a posição social do falante – e da questão de linguagem e ideologia apresentada pela análise do discurso, buscou-se verificar nos discursos de diferentes candidatos, dos dois partidos políticos concorrentes ao cargo, como determinadas variáveis de ordem morfofônemica comportavam-se em suas falas. Levantou-se, inicialmente, a hipótese de que o partido tido como “defensor dos ricos” apresentaria atos de fala mais formais, com pouca variação dentro das variáveis aqui observadas; assim como o lado “defensor dos pobres” teria em suas variáveis uma maior incidência de variações, tornando seus discursos mais “simples”. Observa-se, por força de uma convenção social, que o “falar correto” encontra-se amplamente associado às classes sociais mais privilegiadas. Literaturas abordando a questão do preconceito linguístico abordam essa questão corriqueiramente. Atos de fala realizados em situações formais, por falantes que transitam entre comunidades linguísticas distintas, de maneira informal poderiam ser uma marca de identidade para com os ouvintes? Ou, ainda, poderia a variação diafásica – variação linguística mediante a formalidade de uma situação - se pautar pela diastrática – variação linguística mediante a comunidade linguística? A Teoria da Argumentação apresenta o continuum entre formalidade e informalidade na fala como de grande valia para que um orador possa persuadir seu auditório. Os resultados mostram uma pré-disposição dos candidatos a falarem da mesma maneira pela qual seu público alvo enuncia seus atos de fala, mostrando o vínculo entre linguagem e identidade.