logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Os subtipos modais expressos pela construção 'tener que' no espanhol falado peninsular
Autor(es): Ana Luiza Ferancini Nogueira. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave funcionalismo, modalidade, espanhol
Resumo

Na tentativa de definir uma complexa categoria da linguagem, Coracini (1991, p. 113) considera a modalidade como “a expressão da subjetividade de um enunciador que assume com maior ou menor força o conteúdo enunciado, ora comprometendo-se, ora afastando-se”, enquanto Quirk et al (1985, p. 219) entendem a modalidade como o “modo pelo qual o significado de uma frase é qualificado de forma a refletir o julgamento do falante sobre a probabilidade de ser verdadeira a proposição por ele expressa.” De acordo com Neves (1996, p. 165-166) as modalidades podem ser expressas de várias maneiras nas línguas naturais: por meio de verbos (auxiliares ou plenos), advérbios, adjetivos, substantivos e até pelas categorias gramaticais de tempo, modo e aspecto do verbo. Dentre as diversas formas de expressão das modalidades, o interesse deste trabalho é analisar, em dados do espanhol falado peninsular, a construção tener que, uma construção que atua como verbo auxiliar e que tem sido objeto de investigação dentro da área dos estudos funcionalistas (OLBERTZ, 1998; OLBERTZ; GASPARINI-BASTOS, 2013). O presente estudo baseia-se na proposta de Hengeveld (2004), que classifica as modalidades a partir do alvo da avaliação (a parte do enunciado sobre a qual recai a avaliação modal) e do domínio semântico da avaliação (sob qual perspectiva a avaliação é feita). Com relação ao primeiro parâmetro, as modalidades podem ser orientadas para o participante, para o evento ou para a proposição. Com relação ao segundo parâmetro, as modalidades podem ser classificadas em facultativas (relacionadas às capacidades intrínsecas ou adquiridas), deônticas (relacionadas ao que é obrigatório ou necessário), epistêmicas (relacionadas ao que é certo ou duvidoso) e volitivas (relacionadas ao que é desejável). Com base na classificação das modalidades proposta por Hengeveld (2004), o objetivo deste trabalho é investigar, dado o caráter polissêmico da construção tener que, os subtipos modais que podem ser expressos por essa construção nos diversos contextos de ocorrência, a orientação da modalidade e os elementos contextuais que favorecem o aparecimento de uma ou outra modalidade, como as características do sujeito do enunciado, o tempo e o modo verbais. Como córpus do trabalho, são utilizados dados do espanhol falado pertencentes às cidades espanholas de Alcalá de Henares e de Granada, retirados do Projeto PRESEEA (Proyecto para el estudio sociolingüístico del español de España y de América). (Apoio: FAPESP – Processo 2014/08093-0)