logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Imagens do autor Mattoso Câmara em textos e manuais de linguística brasileiros
Autor(es): Nayla Vieira Semensato. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave Histria da lingstica, Ethos, Imagem do autor
Resumo

Joaquim Mattoso Câmara Jr. apesar de ter desempenhado um importantíssimo papel na institucionalização da linguística no Brasil, sendo considerado por muitos estudiosos o iniciador da linguística de língua portuguesa, ainda é muito pouco estudado. Esse fato constitui-se numa problemática bastante relevante para a história e/ou historiografia linguística desenvolvida na geografia brasileira; desse modo, neste trabalho de iniciação científica que integra as discussões realizadas no Instituto Mattoso Câmara de Estudos Interdisciplinares de Linguagem – IMC, na linha de pesquisa: “Arquivos de Mattoso Câmara”, objetivamos analisar que imagem autoral de Mattoso Câmara é construída tanto nos manuais de linguística brasileiros desde o final dos anos sessenta do século passado até os dias atuais quanto em textos publicados em diversos periódicos brasileiros por ocasião da celebração acerca dos cem anos de seu nascimento. Tudo isso com base na Análise de Discurso de orientação francesa, mais especificamente em Dominique Maingueneau (2006 e 2010) a partir da categoria de ethos e das três dimensões discursivas da autoria: a pessoa, o escritor e o inscritor. A pessoa refere-se ao indivíduo dotado de estado social, de uma vida privada. O escritor é uma espécie de ator que traça um caminho e desempenha um  papel na instituição literária e, por fim,   o inscritor que “subsume ao mesmo tempo as formas de subjetividade enunciativa da cena de fala implicada pelo texto” (2006, p.136). Metodologicamente, ao descrevermos e interpretarmos nosso material de análise, objetivamos investigar que facetas da imagem do autor foram construídas nos manuais e periódicos, quais editoras publicaram os manuais e se, em alguma medida, interferiram na sua imagem autoral. Além disso, buscaremos compreender o papel da cenografia na construção desses manuais e, dentre outros passos, descrever/interpretar qual o papel desempenhado pelo ethos editorial – se o manual faz parte de uma coleção ou não, por exemplo – para a construção da imagem autoral de Mattoso Câmara nos manuais de linguística brasileiros. Portanto, esperamos que o nosso trabalho, por um lado, possa contribuir para uma compreensão mais refinada do papel precursor de Mattoso Câmara na institucionalização da linguística no Brasil e, por outro, ajude na elucidação da história da linguística no Brasil, ainda tão carente de pesquisas nesse campo.