logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: As semelhanças entoacionais entre o dialeto caipira do Médio Tietê e do Português setentrional europeu
Autor(es): Rosicleide Rodrigues Garcia. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave entoao, dialeto caipira, portugus setentrional europeu
Resumo

~~A presente pesquisa pertence ao Projeto ExProsodia, que avalia a entoação da língua portuguesa por meio da automação de dados produzidos por sistemas digitais de coleta e análise de voz. Nascida do estudo realizado para a tese de doutorado A entoação do dialeto caipira: reconhecimento, características e formação, esta análise segue a linha teórica de Ferreira Netto (2008) que faz o exame de F0 a partir da decomposição de dados prosódicos (sustentação, foco/ênfase, finalização e acento lexical), particularizando-se o tom médio (TM) e o tom final (TF) da fala de informantes. As cidades portuguesas estudadas para o estudo de entoação foram Braga, Bragança e Vila Real, onde foram coletadas 60 frases, com cerca de quinze segundos cada, de 12 entrevistas realizadas por 4 informantes de cada urbe, sendo eles dois homens e duas mulheres com idades iguais ou superiores a 60 anos, de baixo nível de escolaridade e moradores vitalícios de suas regiões. De acordo com Boxer (1963, p. 154), as localidades de Minho e Douro foram responsáveis por enviar mais de três quintas partes de imigrantes portugueses para o Brasil durante o período de colonização, sendo eles pessoas com nenhuma ou baixa escolaridade, em busca de ascensão social e financeira (RAMOS, 1993). Desta forma, sabendo-se que o português falado no Brasil possui essa origem, buscaram-se as citadas regiões para estabelecer uma comparação com as pesquisas até então produzidas com falantes do dialeto caipira do Médio Tietê, particularizando Porto Feliz, Tietê e Itu, de modo que as informações demonstrassem se haveria fatores que fizessem com que as entoações do português de ambas as nações tivessem caracterizações próprias. Sendo estabelecido o mesmo processo de coleta e análise nas cidades do interior do estado de São Paulo, compararam-se 120 resultados de vozes de portugueses e brasileiros, e percebeu-se que tanto o TM quanto o TF não apresentam diferenças significativas entre si (P>0,05), assim como a finalização é coincidente, apresentando traços plagais.