logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: A FORMA DE VIDA DO ATOR PROTAGONISTA EM PASSEIO NOTURNO: ENTRE O SER E O PARECER
Autor(es): Renata Cristina Duarte. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 01/03/2024
Palavra-chave Formas de vida, Acontecimento, Rubem Fonseca
Resumo

O objeto de estudo desta análise é o conto “Passeio Noturno” (parte I), do autor brasileiro contemporâneo Rubem Fonseca. Esse autor se destaca no panorama literário brasileiro pós-moderno por abordar em seus textos os desafios enfrentados pela sociedade moderna e pelo homem contemporâneo, por meio da focalização de temas como a violência nos grandes centros urbanos. No conto em questão, observa-se a construção de um ator, um homem executivo, bem sucedido financeiramente, que possui uma família bem organizada pertencente à classe média alta. Dessa maneira, constrói-se o parecer de um homem comum, que segue os padrões da sociedade em que está inserido e que respeita as normas e a moral coletiva. Contudo, esse ator rompe com os comportamentos em uso requeridos e instaura um modo de ser e agir individual ao sair todas as noites para passear em seu carro e atropelar pessoas indefesas, algo que ele faz por prazer. Observa-se assim que há um desencontro entre o ser e o parecer desse sujeito, dividido entre o espaço fechado do escritório, da casa, onde ele mantém o parecer de um sujeito que segue as normas da sociedade; e o espaço aberto da rua, onde ele revela seu verdadeiro ser e age de acordo com suas próprias leis. Dessa maneira, objetiva-se analisar a forma de vida desse ator construída no conto, bem como os acontecimentos que levam esse sujeito a romper com a moral coletiva e instaurar uma nova forma de vida baseada na ética do querer. A hipótese é de que a forma de vida manifestada por esse ator baseia-se essencialmente nessa segmentação entre o ser e o parecer, isto é, entre a manutenção de uma imagem perante a sociedade e o ser que deseja romper com os usos estabelecidos. Para a análise, utiliza-se o aparato teórico-metodológico da semiótica francesa, especificamente os conceitos de forma de vida desenvolvidos inicialmente por Algirdas Julien Greimas, bem como os estudos de Claude Zilberberg no tocante ao acontecimento. Esta proposta se justifica, pois, sob esse ponto de vista teórico, a análise do texto literário constitui também material para a análise da cultura brasileira.