logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Acomodações fonético-fonológicas plenas e parciais de anglicismos: a produção de nomes personativos adotados por indivíduos brasileiros
Autor(es): Suzana Maria Lucas Santos de Souza. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave Acomodaes fontico-fonolgicas , Ingls Americano, Portugus do Brasil
Resumo

Este estudo tem como propósito verificar a ocorrência de ajustes fonético-fonológicos realizados por sujeitos brasileiros na produção de nomes de pessoas característicos da antroponímia de países falantes de língua Inglesa como materna.   A pesquisa, cuja temática está relacionada à identidade fonológica do Português Brasileiro (PB), é conduzida à luz dos modelos fonológicos não lineares (HOGG; McCULLY, 1999; SELKIRK, 1980), os quais atribuem à sílaba papel preponderante na teoria fonológica. Ressaltam-se semelhanças e diferenças entre os inventários fonológicos da língua fonte, o Inglês Americano (IA) e da língua receptora, o PB, com o intuito de melhor compreender o processo de acomodação linguística.   O corpus compreende antropônimos típicos da língua inglesa, bem como nomes que refletem traços da ortografia do idioma estrangeiro. A coleta dos dados se deu a partir de consulta aos diários de classe de escolas públicas localizadas na periferia da cidade de São Luis, Maranhão. O corpus abrange antropônimos característicos da lingual inglesa, bem comonomes criados a partir dos modelos estrangeiros, com traços que evidenciam a ortografia do idioma importado.   Foram realizadas gravações com falantes nativos das duas línguas, objetivando mapear os principais processos fonético-fonológicos empregados pelos falantes brasileiros. Com base na motivação do sistema sonoro do PB, as análises revelaram adaptações como:a) inserção de vogal epentética [i], acarretando em ressilabação por mudança na estrutura silábica original; b) modificação na localização da proeminência acentual; c) vocalização de /l/ em posição de coda silábica; d) fricativização de /r/ em posição de onset e coda silábicos; e) palatização de /t/ e /d/ diante de /i/; f) apagamento de /r/ em posição de coda final do prenome; g) nasalização de vogais seguidas de consoantes nasais; h) substituições de segmentos específicos da língua inglesa por segmentos do PB de configuração fonética próxima. Desse modo, o estudo conclui que há ajustes fonológicos motivados pela decifração da escrita do PB, bem como o processo inverso, adaptações ortográficas influenciadas por pronúncias na língua de origem. A pesquisa busca demonstrar arelação e a interinfluência entre os dois sistemas linguísticos, considerando-se que um mesmo nome pode expressar marcas das duas línguas, quer de ordem fonológica, quer de ordem ortográfica, o que incide na definição da identidade fonológica dessas palavras. Resultados também apontam a força que a subjetividade exerce sobre os usuários desses prenomes, pois são os próprios sujeitos que decidem pela pronúncia menos ou mais estrangeira.