logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Tradução das diferenças culturais em “A carta dentro do barril de cimento”, de Hayama Yoshiki
Autor(es): Olivia Yumi Nakaema. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 24/02/2024
Palavra-chave Traduo, Literatura Japonesa Proletria, Hayama Yoshiki
Resumo

O conto “A carta dentro do barril de cimento” é um expoente do Movimento de Literatura Proletária do Japão. Escrito em 1925, descreve o cotidiano de um trabalhador da indústria de cimento e um acidente fatal. Em meio a movimentos sociais, esse conto serviu como “bandeira” para a voz proletária da época e, há anos, integra também materiais didáticos do Japão, por representar a Literatura Proletária. Sua tradução já foi publicada em diversas línguas e é relativamente bastante conhecida entre os estudiosos da Literatura Japonesa. No entanto, no Brasil, assim como o autor Hayama Yoshiki, o conto é pouco conhecido e o presente trabalho visa apresentar questões tradutológicas relativas às diferenças culturais na tradução desse conto. A tradução analisada é resultado do 2º. Projeto de Tradução Multilíngue coordenado pelo Prof. Dr. Goyama Rintarô, da Universidade de Osaka, Japão. Esse projeto consistiu na tradução de um conto contemporâneo japonês para onze línguas. Questões tradutológicas foram discutidas conjuntamente pelos tradutores e uma tradução para a língua portuguesa, única de origem latina entre as onze, foi feita. O objetivo do projeto foi analisar os principais pontos de difícil tradução da literatura japonesa e produzir um material de auxílio para as aulas em diversas universidades onde o curso de Língua, Literatura e Cultura Japonesas é ministrado, em todo o mundo. O presente trabalho propõe apresentar o mencionado projeto da Universidade de Osaka e analisar as principais questões relativas às diferenças culturais presentes nessa tradução para a língua portuguesa. Pretende-se analisar como objetos e costumes existentes na cultura japonesa foram traduzidos para a língua portuguesa, pensando nos leitores do Brasil e na cultura ocidental. Opta-se por adotar uma abordagem teórica pelo viés da ideologia proposto por Lawrence Venuti (1998), a quem o ato de tradução é uma prática social que envolve a reprodução de valores e “domesticação”. Além disso, para análise das soluções de tradução, adota-se a noção de “Equivalência Dinâmica” proposta por Eugene Nida e Taber (1969), a quem a tradução essencialmente deve provocar no leitor da língua de chegada o mesmo efeito de sentido provocado no leitor da língua de partida. O presente estudo se justifica pela escassez de pesquisas sobre tradução da Literatura Japonesa e pela necessidade de compreender como certos aspectos culturais do Japão podem ser traduzidos para a língua portuguesa no Brasil.