logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: VOZES DE EROS: O ESTILO E AS RELAÇÕES DIALÓGICAS NO CONTO ERÓTICO “CINCO SENTIDOS”, DE MANOEL LOBATO
Autor(es): Rosana Letcia Pugina, Juscelino Pernambuco. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Bakhtin, relaes dialgicas, estilo
Resumo

O tema deste trabalho é o estudo do conto erótico “Cinco sentidos”, de Manoel Lobato (2006a), à luz das teorias de gênero, estilo e dialogismo. Para Bakhtin, as condições de comunicação geram enunciados temáticos e composicionais denominados gêneros discursivos, os quais são fortemente marcados pelo estilo. Já o dialogismo é conceituado como o fundamento de toda a discursividade. A partir desses conceitos, o conto foi compreendido como um entrecruzamento de vozes que dialogam com outros gêneros, sendo também ecos do seu tempo. Como objetivo geral, houve o interesse em compreender como se dão as relações dialógicas em uma materialidade discursiva erótica. Como objetivos específicos, observou-se o conceito de estilo no conto; e se verificou qual foi a axiologia que presidiu o corpus e o modo como as vozes que se entrecruzam no conto ajudam a evidenciar características das identidades do homem e da mulher no século XXI. Foi feito também um estudo em torno do conceito de erotismo com vistas a colaborar para a distinção do que seja uma obra literária erótica. A análise teve como fundamentação teórica os conceitos de dialogismo de Bakhtin (1987; 1997; 1998; 2006) e os estudos de pesquisadores da sua obra. Quanto ao erotismo, foram utilizados os trabalhos de Bataille (1980), Castello Branco (1984), Durigan (1985), Paz (1993), dentre outros. A metodologia consistiu em levantamento bibliográfico das obras de Bakhtin sobre dialogismo e gêneros discursivos, e na análise do conto com base na visão desse filósofo. Para o corpus, foi selecionado o conto erótico “Cinco sentidos” (LOBATO, 2006a), pertencente à coletânea 69/2 Contos eróticos (CLAVER, 2006). Após a leitura, apurou-se que em “Cinco sentidos”, o estilo é visto, em primeira instância, como forma de encarar o mundo e depois como trajeto de elaboração do material linguístico que lhe dá forma, ou seja, a política interna do estilo modela a sua política exterior. Assim, podem existir relações dialógicas entre estilos, para isso eles devem ser entendidos como posições semânticas sob um enfoque não mais puramente linguístico. É exatamente o seu caráter plurilíngue que representa a raiz do estilo e que está concretamente representado no corpus selecionado. Dessa forma, pode-se concluir que o conto analisado constitui-se dialogicamente por meio do plurilinguismo e do pluriestilismo. O que esta pesquisa comprovou  é que a literatura erótica de alta qualidade tem potencial significativo para retratar comportamentos humanos no acontecimento do existir.