logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: A RELAÇÃO RETÓRICA DE CONCESSÃO NO PORTUGUÊS FALADO
Autor(es): Juliano Desiderato Antonio. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 02/03/2024
Palavra-chave Concesso, Funcionalismo, Lngua em uso
Resumo

Na perspectiva da Rhetorical Structure Theory (RST), além do conteúdo explícito veiculado pelas orações de um texto, há proposições implícitas, as chamadas proposições relacionais, que surgem das relações que se estabelecem entre partes do texto. As proposições relacionais recebem outros rótulos como “relações discursivas”, “relações de coerência” ou “relações retóricas” (TABOADA, 2009).

Embora possa ser tentador estabelecer uma correlação direta entre a relação de concessão e as orações adverbiais concessivas, de acordo com Mann e Thompson (1983), autores-fundadores da RST, as proposições relacionais surgem no texto independentemente de sinais específicos de sua existência, ou seja, não há necessidade de inclusão, no texto, de elementos linguísticos que tenham por função indicar as relações estabelecidas.

Mann e Thompson (1985) propõem que a concessão seja concebida não em termos semânticos, mas em termos textuais, como uma relação discursiva. Segundo os autores, nesse tipo de abordagem, as orações não podem ser consideradas isoladamente, pois não seria possível inferir os objetivos do autor do texto. Somente em termos de contexto discursivo pode-se compreender como a concessão é uma ‘concessão’ de algo: ela concede a incompatibilidade potencial de duas situações para antecipar uma objeção que poderia interferir na crença do destinatário a respeito do argumento que o autor defende.

Este trabalho tem como objetivo demonstrar que a relação retórica de concessão não emerge apenas da combinação entre orações adverbiais concessivas e que essa relação não ocorre apenas entre orações, mas também entre porções de texto maiores do que a oração. Para Mann e Thompson (1985), a relação de concessão é um mecanismo que o produtor do texto pode utilizar para influenciar o destinatário a crer em algo. Dessa forma, mesmo uma construção adversativa pode estabelecer a relação de concessão desde que o produtor do texto tenha como objetivo influenciar o destinatário.

O corpus de análise é formado por 10 entrevistas orais e por 5 aulas de curso superior do banco de dados do Grupo de Pesquisas Funcionalistas do Norte/ Noroeste do Paraná (Funcpar).

Apoio: Fundação Araucária (Convênio nº 477/2014 UEM/Fundação Araucária)