logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: A ESCRITA DIALÓGICA: Investigando o relacionamento do sujeito com o próprio texto
Autor(es): CARLA ANDRIA THADEI NUNES DOS SANTOS. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 29/02/2024
Palavra-chave Dialogia, Sujeito, Discursividade
Resumo

A presente pesquisa tem como objetivo central a verificação da construção da representação social da língua materna, da língua em uso, sob circunstâncias formais, em um contexto burocrático de sala de aula. Basicamente a pesquisa propõe-se a investigar a natureza da relação que um grupo de estudantes, concluinte do ensino fundamental, estabelece com os textos que produz no ambiente escolar, decorrentes de atividades oriundas das chamadas aulas de Redação, sob orientação de modelos engessados. Teórico-metodologicamente fundamentado no aporte sociointeracionista vygotskiano e do dialogismo de Bakhtin, o estudo considera, em uma perspectiva dialética, que o sujeito e a linguagem se constituem mutuamente em processos interlocutivos. Sabe-se daí que o tipo de relação que o falante mantém com a língua será determinante do tipo da representação social da mesma. Assim, além da caracterização da relação estabelecida, importam-nos questões nela implicadas, como fatores que a provocam e os graus de textualidade e de discursividade resultantes. Vale analisar em que proporção o contexto de certa sala de aula configura-se como instância interlocutiva, dialógica, por meio da qual aquela construção dialética se dá, bem como o impacto disso na medida da constituição do sujeito discursivo, que constrói uma estrutura lingüística para o outro, com a perspectiva do outro. A resposta poderia refletir-se inclusive na natureza, na qualidade e no nível de comprometimento que o falante-aprendiz firma com o seu texto, definidos tais níveis a saber: ausência de domínio de elementos coesivos ou da estrutura sintático-semântica da língua,  de explicitude, falta de clareza, de articulação, truncamentos, imprecisão, organização frasal incompleta e afins, sem parâmetros dialógicos do ato de escrever, considerados na interação autor-texto-leitor. O desafio é contribuir com reflexões que possibilitem uma melhor compreensão dos processos, fatores e mecanismos relacionados à implementação de formas de atos na escrita, perdida em favor da configuração curricular da língua portuguesa.