logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Uma explicação discursivo-funcional para a variação modal nas orações concessivas do espanhol prefaciadas por aunque
Autor(es): Talita Storti Garcia. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave Concesso, Aunque, Gramtica Discursivo-Funcional
Resumo

De acordo com a gramática da Real Academia Española (2010), um período concessivo apresenta uma condição ineficaz, que poderia alterar de alguma forma a realização do que se indica na oração principal. As orações concessivas do espanhol introduzidas por aunque, conjunção prototípica (embora, em português) segundo Matte Bon (2012), podem ocorrer com verbos no indicativo ou no subjuntivo, como se nota em: Aunque llueva/llueve, saldré a pasear (Embora chova, sairei para passear). Essa variação é atribuída por Matte Bon (2012) ao tipo de informação apresentada pela oração concessiva, sendo o indicativo utilizado em caso de informações novas e o subjuntivo, em caso de informações compartilhadas entre os interlocutores. Outros autores (DE KOCH, 1995; SANCHEZ, 2001 e RAE, 2010) atribuem essa diferença modal ao tipo de obstáculo oferecido pela concessiva, se constituir um obstáculo efetivo, real, o verbo ocorrerá no indicativo, se configurar um obstáculo hipotético, o verbo ocorrerá no subjuntivo. Crevels (1998), atribui o modo verbal dessas construções ao domínio ocupado pela concessiva, pois, hipotetiza que as concessivas de predicado tendem a ocorrer no subjuntivo enquanto as concessivas de ato de fala tendem a ocorrer no indicativo. A autora propõe a existência de quatro diferentes tipos de concessivas introduzidas por aunque: as predicacionais, proposicionais, ilocucionárias e textuais. A partir de uma proposta de classificação semelhante, agora em função de níveis e camadas propostos pela teoria da Gramática Discursivo-Funcional – doravante GDF - (HENGEVELD e MACKENZIE, 2008), esse trabalho pretende explicar a alternância modal das orações introduzidas por aunque extraídas de textos literários atrelada a dois fatores fundamentais: factualidade e pressuposição (HENGEVELD, 1996). Esse modelo teórico apresenta uma estrutura descendente, que parte das intenções comunicativas para a estruturação. Organiza-se em termos de níveis e camadas, sendo, de cima para baixo: o interpessoal, o representacional, o morfossintático e o fonológico, estruturados em camadas hierárquicas. Para a GDF, a concessão é uma função retórica, um fenômeno do nível interpessoal, uma estratégia utilizada pelo falante para convencer o ouvinte e atingir suas estratégias comunicativas. O falante, para Keizer (2014), utiliza a concessão para convencer o seu ouvinte de que o que foi dito na oração principal é verdadeiro. Os resultados desta pesquisa mostram que essa alternância ocorre em apenas algumas camadas, confirmando a hipótese de Crevels (1998).