logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: A abordagem do ensino da leitura e interpretação do texto escrito no livro didático de português
Autor(es): Miri Alves de Laet Silva. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave Leitura, Interpretao de texto escrito, Livro Didtico de Portugus
Resumo

O ensino e aprendizagem de leitura como ato reflexivo, que envolve a construção de sentidos pelo leitor, é um desafio no contexto educacional. Sob essa abordagem é que proponho reflexões a respeito dessa prática elementar para a formação de indivíduos letrados e capazes de atuar em todos os âmbitos sociais de forma autônoma. Assim, diante da perspectiva do ensino de leitura enquanto construção, apresento, neste trabalho, resultados parciais de uma pesquisa de mestrado cujo objetivo é analisar se as propostas de leitura e interpretação do texto escrito, apresentadas aos alunos pelos Livros Didáticos de Português – LDP – da coleção ‘Tudo é linguagem’- 6º ao 9º anos, Editora Ática, de autoria de Ana Trinconi Borgatto, Terezinha Bertin e Vera Marchezi, contemplam os descritores da Matriz de Referência de Língua Portuguesa da Prova Brasil, em seus tópicos e descritores. Estes preveem habilidades e competências necessárias ao aprendiz concluinte dessa fase do Ensino Fundamental com foco na leitura como interação (BRASIL,1998). O aprimoramento de tais habilidades é primordial para o desenvolvimento de letramento(s) do aprendiz nas situações de avaliação às quais ele será submetido e consequentemente no seu cotidiano. Inicialmente apresento os dados quantitativos coletados a partir do mapeamento das atividades propostas aos alunos, nas seções em que a coleção trabalha com leitura e interpretação do texto escrito; em seguida apresento o total de atividades que mobilizam os descritores de cada tópico para finalmente problematizar, na análise qualitativa sobre as habilidades que são privilegiadas, em detrimento de outras que foram esporadicamente trabalhadas. Diferentemente da proposta de leitura como prática social o grande número de atividades de decodificação aponta para uma abordagem da leitura contrária à interação, uma vez que privilegia atividades focadas no resultado da leitura, ao invés do processo de construção da compreensão, numa perspectiva ativa. Essa abordagem não possibilita a dialogicidade ou a atitude responsiva ativa do leitor (BAKHTIN, [1953-54] 2003). Também não favorece a aprendizagem numa perspectiva sócio-histórico-cultural (VYGOTSKY, [1987] 2008) Desconsidera, ainda, o caráter ativo do aprendiz, que para desenvolver a proficiência leitora precisa participar de práticas de letramento voltadas para a interação (ROJO, 2009).