logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Adaptação fonológica de antropônimos e hipocorísticos de origem estrangeira na variedade sãocarlense
Autor(es): Natalia Zaninetti Macedo. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave Adaptao fonolgica, Onomstica, Anglicismo
Resumo

Este trabalho verifica como se dá o processo de transferência de antropônimos de origem verdadeira ou supostamente estrangeira para o PB, variedade são-carlense, buscando investigar aqueles que fogem aos padrões de seu sistema fonológico e ortográfico. O estudo analisa também prenomes criados por usuários da língua por questões estilísticas, bem como alguns hipocorísticos, sobretudo aqueles que trazem consigo pistas que revelem e reafirmem a identidade linguística de seus sujeitos. Para tanto, recorreu-se a um corpus constituído de prenomes coletados em listas de frequência das escolas municipais da cidade de São Carlos, interior do estado de São Paulo. A pesquisa de campo consistiu em visitas realizadas às escolas a fim de se obter informações sobre os antropônimos (prenomes e hipocorísticos), possibilitando assim uma amostragem de dados que se aproxima da realidade da variedade linguística analisada. Foram consultadas listas de frequência de 66 escolas municipais, sendo contabilizado um montante de 14.716 prenomes. Posteriormente, os alunos foram convidados a responder um questionário referente a seus nomes e apelidos, voluntariando-se para esta etapa da pesquisa um total de 1.122 participantes e sendo recolhida, portanto, a mesma quantidade de prenomes e informações sobre as motivações de escolha. Destes, 738 informaram seus apelidos. Todos os prenomes foram consultados em dois dicionários antroponímicos: Guérios (2004) e Oliver (2010). De forma análoga aos trabalhos de Massini-Cagliari (2010, 2011a,b) e Souza (2011), após análise das transcrições fonéticas e fonológicas dos antropônimos coletados, foram reconhecidos processos fonológicos típicos do PB em que houve adaptação no momento da produção dos prenomes, constando, entre eles, os seguintes: palatalização, vocalização do /l/ ocupando lugar de coda silábica, nasalização e epêntese, e momentos em que o falante, buscando uma aproximação intencional ao idioma inglês, não se rendeu a esses processos, mas, cuidadosamente, produziu prenomes com padrões excepcionais no que tange às questões silábicas e acentuais do PB.