logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Indígenas em eventos acadêmicos: representação na web
Autor(es): Marcia Niederauer. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 22/02/2024
Palavra-chave representao, indgenas, discurso
Resumo

Este trabalho discute a representação sobre a inclusão de atores sociais (participantes) indígenas pelas páginas da web de uma universidade federal brasileira em eventos acadêmicos empreendidos na própria universidade, confrontando-a com a representação dos mesmos atores sociais por textos veiculados em sites indígenas. A investigação levou crucialmente em conta, primeiro, que é com base no sistema dominante de representação acerca de grupos minoritários que são formuladas políticas públicas voltadas para esses grupos, tais como as de cotas e de reserva de vagas no ensino superior. Segundo, que a internet é um dos espaços cruciais dos embates contemporâneos em torno da representação. Terceiro, que, mesmo “fortalecidos politicamente e amparados legalmente, os grupos minoritários” somente conseguem assumir de fato novas formas de participação em espaços de poder se o entorno ou sociedade envolvente, nos termos de Luciano (2011), for educado para respeitá-los social, cultural e politicamente (MAHER, 2007, p. 257-8). Por último, que a descolonização (MIGNOLO, 2000; KLEIMAN, 2013) de discursos e práticas hegemônicos passa necessariamente pela problematização de práticas discursivas recorrentes no entorno de grupos minoritários – o site de uma universidade federal brasileira, no contexto investigado – que parecem contrárias à luta desses povos por novas formas de participação em espaços de poder. Analiso um corpus formado por textos selecionados no portal UnB e em sites mantidos por universitários ou organizações civis indígenas, lançando mão de categorias e modelos analíticos de Teorias Sociais do Discurso, especificamente, aquelas propostas por van Leeuwen (1997) para a análise da representação de atores sociais, limitando-me à inclusão de participantes por nomeação e categorização, a partir dos mecanismos de funcionalização e identificação, enquanto tipos de categorização (VAN LEEUWEN, 1997), recursos de análise especialmente produtivos neste estudo. A interpretação dos dados evidencia que a forma como a Universidade representa esses atores sociais não contribui para os esforços que povos indígenas e a própria Universidade têm empreendido na busca pela democratização do acesso ao e da participação no ensino superior no Brasil, tampouco na promoção da pluralidade no espaço acadêmico.