logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Expressões adjetivais e verbos suportes
Autor(es): Amanda dos Santos Carneiro. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave expresso cristalizada, adjetivo, verbo suporte
Resumo

O presente trabalho propõe identificar as expressões adjetivais do português brasileiro que possam ocorrer com verbos-suportes, i.e., expressões cujo significado global não pode ser calculado a partir da soma das partes que a compõem (VALE, 2001) e que, tomadas como uma unidade, exercem na oração a função de adjetivo. Por exemplo, na ocorrência


Ana tem o olho maior que a barriga

o significado total da expressão ter o olho maior que a barriga não corresponde aos significados individuais dos seus componentes.  Podemos dizer, entre outras razões, que esta seria uma expressão adjetival porque tal sequência adquire sentido na sua composição e atribui uma característica a Ana, uma vez que poderiamos ter a sentença Ana é gulosa como parafrase. Normalmente, expressões adjetivais ocorrem após um verbo copulativo como o ser (Zé é chave de cadeia). Entretanto, podemos notar que uma boa parte pode também ocorrer com um verbo-suporte,  e outras somente com ele (como ter o olho maior que a barriga), mantendo sua função adjetival. Vejamos alguns exemplos:

(1) a. Ana é pavio curto

b. Ana tem pavio curto

(2) a. Zé é (muito) cara de pau

b. Zé teve a cara de pau de me ligar

Em (1), a expressão ocorre tanto na posição pós-cópula como acompanhada do verbo suporte ter sem que haja mudança de significado ou de função. Já em (2), a mesma sentença parece assumer   funções diferentes se colocada com um verbo copulativo ou um verbo suporte. Enquanto em (2a) a expressão é adjetival, em (2b) a mesma unidade assume o papel de um substantivo predicativo. Nesse caso, teriamos duas expressões distintas: cara de pau e ter a cara de pau (de)?

É exatamente essa delimitação que nos propomos a realizar: investigar se há expressões adjetivais que são construídas com verbo-suporte ou se esses apenas compõem sentenças com essas expressões. Nos baseamos, então, na perspectiva teórico-metodológica do Léxico-Gramática (GROSS, 1975, 1981) que prevê um modelo de matriz binária aonde é especificada as propriedades distribucionais analisadas. Nesse quadro teórico, as entradas lexicais são as frases elementares, assim cada item lexical possui a sua própria gramática.  

O resultado desse estudo pode contribuir para a identificação dessas expressões e, portanto, enriquecer a descrição do léxico que é tão necessária para diferentes finalidades como o ensino de línguas estrangeiras, o estudo de linguagem de especialidade e o processamento de língua natural (PLN).