logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Desenvolvimento de jogos direcionados ao ensino e aprendizagem de pronúncia da língua inglesa
Autor(es): Jadhy Bastos Russi de Pinna, Guilherme Elias dos Santos. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 23/02/2024
Palavra-chave Jogos, Pronncia, Lngua Inglesa
Resumo

A motivação do aluno tem sido apontada como um fator de grande influência no desempenho do ensino e aprendizagem do inglês como língua estrangeira. Nesse sentido, os jogos em sala de aula constituem um elemento que atua para aumentar tal motivação. Para Kishimoto (1998), é fundamental o jogo conciliar a função lúdica e a função educativa. Também segundo os estudos de Cardoso (1999) e Souza et alii (2005), entre as formas de se obter o bom desempenho na aquisição da língua estão os jogos, uma vez que conciliam a função lúdica e a educativa. Este projeto objetiva desenvolver jogos educativos como forma de auxiliar a ação docente no ensino da pronúncia do inglês como língua internacional. Nosso foco é a produção e elaboração de jogos que possam atuar no desenvolvimento da qualidade do processo de ensino. Direcionados para os alunos com nível fundamental e/ou nível superior, os jogos visam à aquisição de aspectos fonológicos da língua, além do desenvolvimento de habilidades constantes no modelo de estratégias de Oxford (1989), tais como: habilidades ligadas à memória (estratégia mnemônica); habilidades para analisar e reconhecer palavras (estratégia de cognição); habilidades para recorrer ao próprio processo de aprendizagem (estratégia de metacognição) e a habilidade de cooperação dos demais participantes (estratégia de compensação e estratégia social). Com base nesses pressupostos, este estudo procura construir jogos que desenvolvam as habilidades previstas, além de contribuiur para as pesquisas na área de ensino de pronúncia da Língua Inglesa. Após a primeira fase de elaboração, os jogos foram testados variando os números de componentes de acordo com a exigência de cada jogo, durante as quais houve a mediação de tempo para chegar a duração de cada partida dos jogos. Assim, os jogos serão adaptados para a aplicação dentro da sala de aula.

CARDOSO, R. C. T. (1999). Jogos jogados em sala de aula: os registros de campo e sua interpretação. Linguagem & ensino, v.2, n.1, p. 37-57.

KISHIMOTO, T.M. O jogo e a Educação Infantil. São Paulo: Pioneira, 1998.

OXFORD, R. L. Language Learning Strategies – what every teacher should know. Massachusets: Heinle e Heinle Publishers, 1989.

SOUZA, C. L. M. et alii. Jogos didáticos pedagógicos como ferramentas para o ensino de línguas. In: PINHO, S. Z.; OLIVEIRA, J. B. B. (org.) (2005). Núcleos de Ensino da Unesp. São Paulo: Cultura Acadêmica.