logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: ANAGRAMAS DE SAUSSURE: CONSIDERAÇÕES SOBRE O CONCEITO DE FALANTE-OUVINTE
Autor(es): Karen Alves da Silva, Marcen de Oliveira Souza. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave Saussure, Anagramas, Falante-ouvinte
Resumo

O linguista Ferdinand de Saussure, entre os anos de 1906 a 1909, dedicou-se ao estudo de textos poéticos, mormente nas línguas grega e latina. Nesses textos, o genebrino teorizou a respeito de um mecanismo de composição poética que, embora tenha nomeado de anagramas, pautava-se numa perspectiva estritamente fônica. Nesse sentido, Saussure apoiou-se na hipótese de que os poemas eram compostos por hipogramas, isto é, de fragmentos fônicos de nomes de deuses ou heróis que visavam, além do ēlogĭum, dar suporte mnemônico e temático para o declamador. O objetivo deste trabalho é investigar a noção de falante-ouvinte, na produção saussuriana sobre os anagramas, a partir de três lugares: i) o lugar do poeta, que se constrói em torno do ato composicional e declamatório; ii) o do ouvinte (auditório) que, conforme Saussure (apud Starobinski, 1970), deveria ser hábil para recompor os hipogramas recitados; iii) a posição de Saussure, enquanto ouvinte-linguista, que não é somente auditeur, mas também éditeur. Além disso, considerando que esses estudos poéticos foram em grande parte concomitante ao Curso de Linguística Geral (CLG), ministrado entre 1907 e 1911, propomos analisar a noção de falante-ouvinte presente nas articulações teóricas do CLG assim como em outras produções do mestre suiço, tais como os Manuscritos de Harvard. Para tanto, o presente trabalho seguirá o viés não excludente trilhado por alguns autores, como Wunderli (2004), Silva (2009), Souza (2012) e Testenoire (2013). Assim sendo, se a exegese da obra saussuriana comumente negligenciou o estudo sobre os Anagramas, os três lugares elencados (subsumidos na noção de falante-ouvinte) invocam, dentre outros temas, o circuito da fala, os conceitos de audição e de oreille, assim como a noção de ponto de vista, temas estes que nos permitem pensar a produção saussuriana sobre os anagramas não somente como uma elaboração poética, mas enquanto movimento teórico sobre a língua e a linguagem.