logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: O discurso escolar: uma análise sobre o olhar do aluno
Autor(es): Mirian Valria Gomes Sabeh. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 03/03/2024
Palavra-chave Discurso, Poder, Escola
Resumo

O presente projeto tem como pretensão a análise do sentido da concepção de escola presente no discurso dos alunos de ensino fundamental, especificamente do 7º ano escolar. Para refletir acerca de suas acepções, antes de tudo, faz-se necessário dar voz aos alunos. Por isso, parte este projeto de uma pesquisa de campo realizada na cidade de Jaú, com uma sala de uma escola de ensino público periférica. O intuito é analisar se e como as relações de poder surgem nos discursos dos alunos em um espaço onde ocorrem conflitos e interlocuções influenciadas por jogos hierárquicos de poder e práticas pedagógicas autoritárias que permeiam, sondam todo o ambiente escolar. Com base na Análise do Discurso de linha francesa, especialmente nos estudos acerca da microfísica do poder de Foucault e nos estudos da linguagem do Círculo de Bakhtin, pretende-se pensar a relação entre macro e micropoderes, tendo em vista o institucionalizado hierarquicamente (inclusive como símbolo do Estado, segundo Althusser) e o periférico, considerado marginal. Para fomentar as discussões pretendidas, adotar-se-á o clipe da canção Another brick in the wall, da banda Pink Floyd, como mote e aporte significativo de identificação das relações entre instituição e comunidade discente, bem como de que maneira as relações de poder penetram e influenciam o ensino-aprendizado nas relações professor e estudante, educando e escola, conhecimento institucionalizado e vivências sociais. A hipótese da pesquisa é a de que as questões de poder e as relações dialógicas heterogêneas trazem à tona o embate entre vozes e valores comuns e díspares com relação ao processo ensino-aprendizagem e a convivência com a escola, tida como instrumento autoritário e artificial, com o qual a sociedade não se identifica, uma vez que não considera a heterogeneidade, a diferença e a relação com o mundo e os atos vividos. Lidar com tal situação é o desafio empreendido.

( Apoio: CAPES )