logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: Os topônimos das estâncias hidrominerais do estado de São Paulo
Autor(es): MARIA DA PENHA MARINOVIC DORO. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 05/03/2024
Palavra-chave Toponmia, Turismo, Estncias hidrominerais
Resumo

Esta pesquisa busca mostrar a escolha de topônimos usados para denominar estâncias hidrominerais no estado de São Paulo. Como grande parte desses topônimos está relacionada à água, procurou-se verificar a semelhança entre eles.   Portanto, o objetivo deste trabalho é analisar a motivação toponímica das estâncias hidrominerais paulistas, a presença do hidrotopônimo em várias dessas denominações e a função delas para o marketing turístico. Para isso utilizamos o método indutivo-dedutivo e a metodologia de DICK (1992) sobre a toponímia, conceitos de kotler (2000) sobre a marca e BOYER (2003) sobre turismo. Considerando que a maioria das pesquisas toponímicas é interdisciplinar, levamos em conta que os topônimos, além da sua função identificadora dos lugares, no discurso publicitário turístico assumem a função de marca do produto. Desta forma, constatamos que a viagem e o pacote turístico são identificados por um topônimo. Também encontramos outros topônimos que já foram criados e nomeados intencionalmente para ser um lugar turístico (DORO, 2010). Muitos deles denominam lugares, que possuem águas termais e águas compostas por elementos químicos usados em tratamentos de saúde, são denominados por termos relativos à água, por hidrotopônimos, pois, mesmo no sintagma toponímico um dos termos está relacionado à água. Os hidrotopônimos, que identificam uma estância hidromineral, tiveram diversas conotações ao longo de sua história. A palavra “Thermae” na Roma antiga significava “banho público”. Os romanos na época de seu império valorizavam os banhos termais para tratamento de saúde, descanso e lugar de encontro social. Hoje as estâncias hidrominerais, além dos tratamentos de saúde, são locais de turismo e lazer. Ao final desta pesquisa, verificamos que em 45,5% das denominações das estâncias hidrominerais, termas e parques aquáticos paulistas são utilizados hidrotopônimos em suas denominações. Estes hidrotopônimos ajudam as pessoas a identificar o atrativo mais importante dessas localidades, as águas, em seu próprio nome, como em “Águas de São Pedro”.