logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: A PROJEÇÃO ESPACIAL DO ATOR “BENJAMIN NO FILME “O PALHAÇO” E SUA RELAÇÃO COM SEUS ESTADOS DE ALMA
Autor(es): TATIANA BARBOSA DE SOUSA. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 02/03/2024
Palavra-chave semitica, espao, minoria
Resumo

 Em conformidade com os trabalhos desenvolvidos no âmbito do Grupo Discurso, Sentido e Sociedade (DISENSO), esta pesquisa pretende investigar por meio dos pressupostos teóricos da semiótica de linha francesa, proposta por Greimas e, posteriormente desenvolvida por seus seguidores, a projeção espacial no filme “O Palhaço”, escrito e dirigido por Selton Mello e sua relação com seus estados de alma. O filme em questão narra a história do palhaço Pangaré, que, cansado das dificuldades da vida circense, passa por uma crise existencial quando percebe que não possui nem ao menos uma identidade. A vida de todos que convivem com Benjamin no Circo Esperança é afetada pela profunda tristeza e a oscilação dos estados de alma que tomam conta do ator, um palhaço que ri por fora e chora por dentro, até que seu pai, Valdemar, instiga-o a querer descobrir qual é seu verdadeiro lugar no mundo. Pangaré então, em busca de sua identidade, decide abandonar o circo deixando para trás a vida circense de privações às margens de cidades interioranas. No entanto, depois de buscar um novo rumo para sua vida, no espaço citadino, trabalhando como vendedor em uma loja de eletrodomésticos, não se encontra fora de seu meio e retorna ao convívio da família no circo Esperança. Benjamin descobre que, diferentemente do anonimato que encontrara no centro urbano, era reconhecido e admirado nas localidades pelas quais o circo passava, onde era considerado um verdadeiro artista. Nosso objetivo aqui é analisar o ator Benjamin, em seu papel patêmico e o modo como sua inserção no espaço interfere em seus estados de alma. Para isso, serão analisadas algumas cenas do filme, que, como texto sincrético, pressupõe a correlação entre o verbal e o visual. A crise identidade experimentada por Benjamin, reflete em seu corpo e será analisada por meio de sua gestualidade e por sua projeção nos espaços urbano e não-urbano com vistas a analisar como ele é afetado por estados de alma que oscilam entre tristeza e alegria durante a trama. Desse modo, observaremos especialmente como a figura “palhaço” se relaciona e se constitui como sujeito nos espaços em que está inserido, principalmente em áreas de exclusão, em consonância com o objetivo deste simpósio. Dessa perspectiva, utilizamos conceitos da semiótica da ação e da semiótica das paixões, observando também a constituição da figura do ator e sua relação com o espaço como lugar de significação.