logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: O discurso citado no ensino da escrita: uma leitura dialógica
Autor(es): Cristian Henrique Imbruniz. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave Dialogismo, Heterogeneidade, Discurso
Resumo

O trabalho tem um objetivo central, que se ramifica em três objetivos específicos. Os estudos do procedimento do discurso citado e da(s) heterogeneidade(s) enunciativa(s) do discurso em redações de vestibular, como objetivos primeiros, permitem: (a) Investigação da distribuição das vozes demarcadas no texto: descrever a distribuição das vozes do discurso citado em textos de pré-universitários e interpretá-la; (b) Investigação da relação entre distribuição das vozes e possíveis propostas didáticas: relacionar os resultados dessa descrição com possíveis propostas didáticas, buscando, nelas, explicações para a escolha de certos padrões de citação no conjunto de textos analisados; (c) Investigação das possibilidades de contribuição didática: tratar os resultados obtidos em função da perspectiva de suas contribuições para o ensino. A partir de Authier-Revuz (1990), pondo em destaque a vinculação de seu trabalho a aspectos da perspectiva dialógica da linguagem (BAKHTIN, 1997), o trabalho explora, com as ideias de heterogeneidade constitutiva e heterogeneidade mostrada (marcada e não marcada) a presença do outro em 18 redações da Fuvest de 2009 que, como como um dos argumentos, apresentam menções ao conflito na Faixa de Gaza, então em destaque no noticiário. Outra noção utilizada, a de tensão, fundamental para nosso inquérito, baseia-se – no que se refere à sua apreensão – no paradigma indiciário (GINZBURG, 1989). Nos textos analisados, os momentos de tensão indicam passagens que anunciam outra voz. Nesse sentido, as redações analisadas somam mais informações do que, superficialmente, aparentam: do mesmo modo que um médico, com os dados fornecidos pelo paciente e seus sintomas, busca delimitar o problema do enfermo, o linguista, tendo o texto como seu “paciente” imediato, opera no sentido de encontrar sinais sintomáticos e, em alguns casos, marginais, cujos sentidos são obtidos, no caso em questão e num segundo momento de uma perspectiva discursiva.

(Apoio: FAPESP – Processo 2014/18853-2)

REFERÊNCIAS

AUTHIER-REVUZ, J. Heterogeneida(s) enunciativa(s). Cad. Est. Ling., Campinas, v. 19, p. 25-42, 1990.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997. p. 277-326.

GINZBURG, C. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In: GINZBURG, C. Mitos, emblemas, sinais. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. p. 143-179.