logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: PARA UMA DESCRIÇÃO DA VARIEDADE BRASILEIRA DO POMERANO: COMPILAÇÃO E ESTUDO POR MEIO DA LINGUÍSTICA DE CORPUS
Autor(es): Neubiana Silva Veloso Beilke. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 29/02/2024
Palavra-chave Corpora, Pomerano, Pommersche Korpora
Resumo

Nossa proposta é comunicar o desenvolvimento do Pommersche Korpora  - nome que atribuímos ao nosso conjunto de dados linguísticos, escritos e falados - que é uma coletânea de textos de diversos tipos e autorias, provenientes de diferentes origens, reunidos com critérios éticos e conforme os princípios da Linguística de Corpus  (LC). Nosso objetivo geral é compilar material autêntico da variedade brasileira do pomerano. Esse material, objeto de estudo linguístico, será explorado, organizado e classificado. Dentre os objetivos específicos, destacamos: identificar a sobrevivência ou o desaparecimento da fala pomerana, nas regiões delimitadas pelo projeto; coletar, compilar, organizar e classificar os corpora  do pomerano por datação, tipos de textos e tipos de Corpus; disponibilizar um produto gratuito resultante do Pommersche Korpora: o Glossário Online trilíngue com áudio-verbete: Hochdeutsch (alemão padrão), Brasilianische-Pommersch (variedade pomerano-brasileira)  e  português do Brasil.  Metodologia: Na primeira fase, coletamos material em diamesia escrita, como, por exemplo, jornais, cartas, diários, receitas, músicas, registros eclesiásticos, inscrições em túmulos, legendas de vídeos etc. A coleta foi realizada virtualmente e pessoalmente em municípios do Rio Grande do Sul e Minas Gerais. Todo o material está sendo compilado e transcrito. Na segunda fase, realizaremos entrevistas para obtermos um Corpus  proveniente da fala pomerana, baseadas no método da Geolinguística e no método de Wenker (1880). Quanto as nossas fundamentações teórico-metodológicas, retomamos Berber Sardinha (2004), que esclarece o propósito da LC enquanto área que objetiva realizar pesquisas linguísticas com base na exploração de corpora. Complementamos com Fillmore, pois ele afirma que todo corpus lhe ensinou coisas sobre a linguagem que não teria descoberto de nenhum outro modo (1992, apud MARTINS,  2007). Nessa perspectiva, a LC  nos permite verificar uma quantidade considerável de evidências linguísticas, permitindo-nos uma validação empírica dos dados. Acreditamos que o estudo do pomerano sob a ótica da LC nos fornece meios eficientes para trabalhar com a análise da variedade brasileira do pomerano.    Nossa pesquisa se situa em um campo interdisciplinar e por isso estabelece, pontualmente, relações com outras áreas da linguística. Sendo assim, também nos fundamentamos na Sociogeolinguística (CRISTIANINI, 2007), campo que abrange os aspectos sociais, geográficos, históricos, étnicos e culturais como elementos relevantes nos fenômenos linguísticos. Nos baseamos, ainda, nos trabalhos desenvolvidos por Grosjean, Gumperz e Blom (apud TAKANO, 2013), pois reconhecem a importância das variáveis espaço-temporais. Nesse estágio, os resultados ainda são muito parciais, mas informamos que o Pommersche Korpora  já possui  175.545 tokens, calculados pelo programa AntConc.