logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: O PRINCÍPIO DA NEGATIVIDADE NAS REFLEXÕES SAUSSURIANAS
Autor(es): ALLANA CRISTINA MOREIRA MARQUES, Micaela Pafume Coelho. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 02/03/2024
Palavra-chave Negatividade, Signo lingustico, Ferdinand de Saussure
Resumo

A concepção saussuriana de língua enquanto um “sistema de signos” é fundamentada por uma série de princípios que, em conjunto, permitem pensar os signos linguísticos enquanto elementos que só possuem valor a partir das relações que estabelecem uns com os outros no sistema de língua. Esses princípios – negatividade, diferença, oposição e outros – possuem um caráter essencial na teorização saussuriana, uma vez que consistem em noções que possibilitam o funcionamento do sistema tal como fora pensado por Saussure. Isso pode ser notado no fato de que não há anterioridade, no que diz respeito aos signos da língua; eles consistem em elementos negativos, que só existem devido às relações de oposição e diferença que estabelecem entre si.

 O caráter negativo dos signos linguísticos é tratado por Saussure não só no Curso de Linguística Geral – livro responsável por levar a público as reflexões que permitiram a fundação da Linguística moderna – mas também em outros documentos de Saussure. É o que podemos evidenciar, por exemplo, no Mémoire sur le système primitif des voyelles dans les langues indo-européennes – único livro publicado por Saussure em vida, datado de 1878. Nele, o linguista busca propor, por meio de uma distinção pautada nas noções de relação e negatividade, um sistema de vogais composto por quatro elementos e não três, como propunham os outros estudiosos da época.

Tendo isso em vista, neste trabalho propomos analisar o processo de elaboração do princípio da negatividade no Mémoire e na edição do Curso de Linguística Geral, a fim de encontrar se e de que modo tal elaboração evidencia uma ponte entre os estudos de Saussure no âmbito da Gramática Comparada e acerca da Linguística Geral. A partir disso, analisaremos a importância de tal princípio para que o linguista pudesse estabelecer suas reflexões de forma a conceber a língua não enquanto uma etiquetagem, mas como um sistema cujos elementos emanam de suas relações mútuas.