logo

Programação do 63º seminário do GEL


63º SEMINáRIO DO GEL - 2015
Título: O encontro entre a fantasia e a linguagem no cenário enunciativo da criança
Autor(es): Suzana Rosa de Almeida, MRCIA ROMERO. In: SEMINÁRIO DO GEL, 63 , 2015, Programação... São Paulo (SP): GEL, 2015. Acesso em: 26/02/2024
Palavra-chave criana, fantasia, aquisio da linguagem
Resumo

Manoel de Barros, poeta sensível à infância, nos encanta ao exprimir o que a criança tão bem faz quando brinca com a linguagem: “um criançamento das palavras”, expressão esta que não deixa de se aproximar dos efeitos encantadores do nonsense freudiano, observados em  situações nas quais a criança inconscientemente transforma a linguagem em favor do riso. Em nossa leitura, isso se traduz pelo arco-íris da imaginação e de todas as reconfigurações linguísticas próprias à fala de uma  criança. Sendo assim, nos enunciados infantis, os momentos em que se vê a integração entre fantasia e linguagem são aqueles nos quais as crianças são percebidas como sujeitos ativos, tanto no processo de aquisição, quanto na produção enunciativa, e marcados por uma fala singular. O objetivo principal deste estudo é o de verificar o papel que os efeitos lúdicos advindos do mundo da fantasia exercem no processo de aquisição da língua materna. Para tanto, fundamentamo-nos nas contribuições teórica-metodológicas do campo da Linguística (Aquisição da Linguagem e Enunciação) em interface com a Psicologia, em particular por meio do posicionamento sobre o processo de construção do sentido das palavras, a saber, o de que não há sentidos prévios à materialidade verbal (CULIOLI, 1990; DE VOGÜÉ, FRANCKEL, PAILLARD, 2011), e por meio do conceito de formato (BRUNER, 1983). Como corpus, será analisada a fala de uma criança do sexo masculino, GUS, registrada entre 24 e 36 meses, dados pertencentes ao Banco de dados NALingua (CNPq/UNESP-FCLAr), coordenado por Del Ré. A análise centra-se nas interações de GUS em que se observam o enredo e os personagens do filme de animação Carros (PIXAR, 2006), elementos que se fazem presentes em um vasto conjunto de suportes com o qual a criança interage (o próprio filme ao qual assiste, os jogos de linguagem estimulados pelo filme, as brincadeiras, os contextos de questionamentos direcionados à criança no quais o enredo do filme é o elemento motivador etc.), estimulando sua produção verbal e não verbal. Como resultados parciais da pesquisa, mostraremos que, a partir da mediação observada por meio da fantasia, a criança não só se apropria de um repertório significativo de palavras e expressões, como o transpõe ao uso cotidiano ressignificando-o, sendo este, certamente, um dos mais poderosos recursos de fala no mundo infantil.